Discos Margarida na V-Strom 650

A moto está com 78 mil km, e já passava da hora de trocar os discos de freio dianteiros. E ao pesquisar o preço deles, tomei um baita susto: R$ 1.300,00 cada um.

Comecei a procurar então por alternativas… A mais fácil, obviamente, é a que é moralmente inviável, afinal estamos no Brasil, terra da inversão de valores. Nas imediações da Rua General Osório (Point das motos em São Paulo) encontrei os discos “semi-novos” por R$ 600,00 O PAR (isso mesmo, os dois discos por menos da metade do preço de um único disco na concessionária). Obviamente a procedência dessas peças é bem duvidosa.

Mas como o certo é certo mesmo que ninguém esteja fazendo, resolvi procurar por outra alternativa: Importar.

Encontrei online os discos originais por US$ 225,00 cada, na BikeBandit.com (uma das maiores lojas online dos EUA). Mas infelizmente eu descobri que eles pararam de enviar para o Brasil (afinal, aqui é Brasil, terra do extravio de encomendas).

225 dólares, com o dólar a 2,60 (cotação do início de Dezembro de 2014) dá 585 reais. Como são 2 discos, mais o frete, dá 1.300 reais. Somando o assalto que é o imposto de 60% (êeee Brasil), R$ 2.080, portanto 520 reais de economia em relação à concessionária.

No fim das contas, eu pensei melhor e cheguei a conclusão que esta economia não valia tanto a pena pelo trabalho que iria dar, afinal na concessionária teria garantia nas peças e disponibilidade imediata.

Até que tive a ideia de procurar por discos de marcas paralelas, e encontrei (no exterior) alguns modelos mais baratos (a partir de 90 dólares), mas o que mais me chamou a atenção foram os modelos tipo “Wave”, conhecido por aqui como “Margarida”, devido ao formato de pétalas da borda externa do disco.

Não encontrei, no entanto, nenhuma loja que envie para o Brasil, e acabei procurando por uma loja daqui que pudesse importar os discos para mim. Preferi ter o intermediário para aumentar a minha segurança. Foi ai que conheci a Rhedmax, que me atendeu muito bem e cuidou de tudo para mim.

Os discos

Os discos que escolhi são da marca Meizhoushi modelo DBS044W, são fabricados na China mas vieram dos EUA, são flutuantes (como os originais) e feitos do mesmo tipo de aço. As únicas diferenças são: O formato, que é o tipo “Margarida”, e a espessura do disco: Os originais tem 4,5mm, enquanto esses tem 5mm. Mesmo sendo um pouco mais grossos, não houve problema, e a pinça conseguiu abraçar os novos discos normalmente.

O desempenho da frenagem continua muito bom, não percebi diferença no desempenho em relação aos originais, tanto no tempo seco quanto na chuva.
O que achei mais bacana é o design, ele é bem bonito e achei que ficou legal na moto.

O disco traseiro ainda está bem longe de acabar, então não fiz questão de comprar um disco traseiro também. Mas certamente quando ele acabar, será um deste que vou colocar.

Paguei por estes discos R$ 1.170,00, preço final já com o frete até a porta da minha casa, portanto menos da metade do que eu pagaria na concessionária, e mais barato do que importar diretamente os discos originais. Mas o melhor mesmo é a satisfação de ter conseguido resolver o meu problema sem ter que cair no jogo dos picaretas.

Veja também

Compartilhe!