BMW R1200GS 2011 – Teste completo

Hoje vou fazer uma análise completa da BMW R1200GS, a Moto mais vendida da BMW no mundo todo.

No ano passado eu fui convidado pela Pirelli para fazer dois cursos oficiais da BMW, um de pilotagem On-road, no campo de provas da Pirelli no interior de São Paulo, e o Off-road, na fazenda Cascata, em Votorantim, SP. Nestes cursos, eu tive a oportunidade de pilotar as Motos da BMW praticamente o dia todo, e consegui testa-las em praticamente todas as situações de uso.

Motos do curso

História

A BMW R1200GS é a moto da marca alemã mais vendida no mundo todo. Fabricada em Berlim, a moto é a união do que a BMW desenvolveu de melhor ao longo de quase 90 anos de tradição na fabricação de Motocicletas. Pouca gente sabe, mas a BMW fabrica motos a mais tempo do que qualquer marca japonesa!

A R1200GS foi lançada em 2005, criada a partir da R1150GS, uma moto de aparência muito semelhante, e motorização também ligeiramente menor. Esta, por sua vez, foi criada a partir da R1100GS de 1993, com motor ainda menor, e diferenças maiores, como a alimentação por carburador, peso maior e menos acessórios de luxo.

BMW R1100GS, R1150GS e R1200GS

Em comum, todas essas motos (inclusive os modelos anteriores) são caracterizados pelo motor boxer e pela transmissão final por eixo cardã. A BMW usa esta combinação desde a década de 20 com o modelo R32, e esta é a principal diferença entre essa Bigtrail e suas concorrentes.

BMW R32 1923

As principais concorrentes da R1200GS são a Yamaha Super Ténéré 1200 e a KTM 990 Adventure.

Yamaha Super Tenere 1200 e KTM Adventure 990

O nome “R” faz referência a linha de motos com motores boxer, enquanto “GS” no nome significa “Gelände Straße “, expressão em alemão que significa “Off-road/On-road”, indicando que a moto é própria para uso no asfalto e também na terra. Por ser uma moto de grande porte e relativamente pesada, obviamente possui limitações de uso fora-de-estrada, mas elas são muito superiores do que se pode imaginar a uma primeira vista.

A BMW R1200GS

Esta moto chama a atenção por onde passa. De dimensões generosas, linhas agressivas, e detalhes com ar futurista, a R1200GS tem presença forte e aparência robusta. Apesar disso, o assento com altura regulável entre 850 e 870mm, com assento opcional de 820mm, perdoa até mesmo os pilotos um pouco mais baixos. Há um bagageiro de série, que vai muito bem com o top case quadrado em alumínio da BMW.

BMW R 1200 GS com malas laterais e top case

Sem os acessórios e em ordem de marcha, a moto pesa 229 kg (versão normal), um peso baixo se considerar o tamanho da moto, mas ligeiramente alto se considerar o uso off-road mais intenso. Nem por isso a dirigibilidade é afetada! Devido ao baixíssimo centro de gravidade, a moto é extremamente fácil de conduzir, mesmo em baixa velocidade, na terra ou no asfalto. É impressionante como uma moto deste tamanho e com este peso consegue ser tão ágil. As mudanças de direção são rápidas e consistentes, e os freios com ABS (desconectável) são superdimensionados para a moto, provavelmente porque é muito comum encher a moto com bagagem e ir para a estrada.

BMW R1200GS Adventure

As suspensões da moto também também parecem ser superdimensionadas. Na dianteira, o sistema “Telelever”, exclusivo da BMW, é completamente diferente do que se vê nas outras motos. As bengalas são montadas sobre uma espécie de gaiola, extremamente rígida, que por sua vez é ligada ao quadro da moto em dois pontos diferentes, com fixação horizontal. O amortecedor único fica montado no centro disso tudo. Este sistema muda bastante o comportamento da suspensão de forma geral. A principal característica é reduzir drasticamente o “mergulho” que a frente da moto dá quando o freio é acionado. Além disso, a absorção dos impactos é maior, tornando a pilotagem mais tranquila e confortável.

BMW Telelever

Já o sistema de suspensão traseiro também é diferente. A moto conta com um quadro elástico único, onde fica fixada a roda traseira e por onde passa o eixo cardã. Esta balança conta com uma articulação próxima da roda, chamada “Paralever”, que faz um movimento mais rápido e mais curto justamente por estar na ponta da balança. Desta forma, os pequenos impactos e imperfeições do piso são absorvidos por este sistema, reduzindo assim o trabalho do amortecedor traseiro e aumentando o conforto.

BMW R1200GS Paralever

É uma moto concebida para viagens de longa distância, em todo tipo de terreno. As rodovias asfaltadas são obviamente o melhor piso, mas ela encara bem as estradas de terra, brita, e até trilhas mais pesadas, bastando para isso que o piloto saiba conduzir com maestria todo o peso da moto.

BMW R1200GS Adventure na terra

Já na cidade, não sei ao certo, pois pilotei ela em uma pista de testes fechada, mas posso dizer que a moto é extremamente maleável e ágil. Fazer exercícios de Slalom e frenagem com ela é muito diferente do que se pode imaginar para uma moto deste tamanho. Tenho uma V-Strom 650, que tem mais ou menos o mesmo porte, a BMW é completamente diferente. Muito mais ágil, leve e maleável para pilotar.

Os freios da moto, como falei, são superdimensionados. A roda dianteira conta com dois discos e duas grandes pinças de 2 pistões cada, e na roda traseira, há um disco com pinça de 2 pistões. A moto freia muito bem no asfalto, graças ao ABS, que realmente evita o pior e mantém a moto nos trilhos o tempo todo. Pode “alicatar” o freio a vontade, mesmo em piso molhado. As rodas nunca travam, e a moto fica imobilizada em pouquíssimo tempo.

Freio dianteiro da BMW R1200GS

Já na terra, o ABS deve ser desligado. Deixa-lo ligado não vai fazer a moto travar ou algo do tipo, mas o ABS acaba atrapalhando a frenagem, que fica absurdamente mais longa. Nestes casos, o melhor é desligar o sistema e frear com cautela.

Já o controle de tração ajuda a domesticar os 110 cavalos de potência do motor. Apesar da potência não ser tão grande, o torque é, e pode pegar desprevenido alguns pilotos mais novatos. Com o controle de tração isso não acontece, e dá para enrolar o cabo na saída de curva sem problemas. Mas no off-road, é comum precisar acelerar repentinamente para vencer algum obstáculo, e o controle de tração atua justamente para inibir isso. Então, o melhor é desligar nestes casos.

Os pneus originais desta moto são os Metzeler Tourance Exp, traseiro na medida 150/70 R17 e dianteiro na medida 110/80 R19. São pneus de uso misto (mais asfalto que terra), sem câmara, e que apresentam bom desempenho nas mais diversas situações. Para uso off-road mais intenso, convém usar pneus mais apropriados, como o Metzeler Karoo 2, com cravos próprios para terra, barro e cascalho.

BMW R1200GS pronta para o off-road

Motor

O motor da BMW R1200GS é o resultado de mais de 80 anos de evolução. A primeira moto BMW, produzida em 1923, já tinha um motor boxer, e este tipo de motor é a principal característica das motos BMW. Este é um bicilindrico Boxer (com cilindros opostos), de 1170cc, alimentados por dois corpos de Injeção Eletrônica independentes. O comando das 4 válvulas de cada cilindro é feito por corrente. Há duas velas por cabeçote, para melhorar a queima de combustível e para garantir maior confiabilidade. A refrigeração é a ar.

Motor BMW R1200GS

É um motor de comportamento bem diferente do que se conhece nas outras motos. Ao acelerar ele, mesmo parado, é possível sentir uma pequena torção no conjunto. Além disso, é visível que o motor é bem largo, deixando os dois cabeçotes extremamente expostos nas laterais da moto. Ao mesmo tempo que isso é um inconveniente, é também a principal vantagem da moto. Inconveniente pois ao fazer curvas com a moto muito inclinada, dá para raspar a ponta do cabeçote no chão. Ao cair com a moto, a primeira ponta que terá contato com o chão é justamente a tampa do motor, e por último, leva um certo tempo para se acostumar com a protuberância lateral… Eu acertei minha canela nesse motor umas 5 vezes antes de aprender.

Cabeçotes do motor da BMW R1200GS Adventure saindo pelas laterais.

Apesar disso, é importante dizer que essa tampa do motor é muito, muito dura. Certamente é feita de alumínio aeronáutico ou algum aço extremamente rígido. Não é qualquer tombo que vai quebrar esse motor. E também, a BMW disponibiliza protetores de motor que ficam bem bacanas e certamente ajudam a proteger essas tampas, que não devem ser baratas.

E as principais vantagens desse tipo de motor são: O baixo centro de gravidade, que é o que faz a moto ser leve e maleável como é, a facilidade em manter o equilíbrio em baixas velocidades, as reações rápidas mesmo em baixíssima rotação, algo difícil de conseguir com um motor em linha, e o baixo nível de vibração.

Este motor tem o melhor desempenho em média rotação, entre 4 e 8 mil RPM. Mas ele acelera bem desde a marcha lenta, sendo um motor ótimo para uso em baixa rotação, que é o que mais se usa no off-road. Já em alta rotação (acima de 8000 RPM) ele não tem um desempenho tão bom, a injeção eletrônica corta a ignição muito cedo. Talvez por se tratar de um motor de 1200cc, que dispõe de muito torque, tornando desnecessário esticar as marchas.

Eu não posso atestar o consumo: As motos iniciaram os dias de treino com o tanque cheio, e foi possível passar o dia todo fazendo exercícios sem pensar em abastecer. Mas eu arrisco dizer que ela faz entre 15 e 20 km/l, dependendo da tocada. O tanque de 20 litros garante boa autonomia, mas se você vai atravessar algum deserto e quer ter tranquilidade, a versão Adventure conta com tanque de 33 litros. Esta não é a única diferença, vou falar mais das versões mais adiante.

Acabamento

O acabamento geral da R1200GS é impecável. Todos os plásticos encaixam perfeitamente, o visual é limpo, com linhas retas e pontiagudas, característica das motos mais novas da marca. Muito alumínio é usado, para garantir o menor peso possível para a moto.

Painel da BMW R1200GS

O painel da BMW R1200GS é completíssimo. Ele conta com um computador de bordo, que permite o controle da telemetria da moto, como ABS, ajuste da suspensão traseira e controle de tração. Os comandos destes recursos ficam todos no punho esquerdo. Além disso, há todos os instrumentos tradicionais: Velocímetro e conta-giros analógico, Hodômetro total e outros dois parciais, luzes-espia para tudo (piscas, farol alto, neutro e nível de óleo), marcador de combustível, de temperatura do óleo, indicador de marcha e relógio.

A bolha que protege o painel e os ocupantes da moto é relativamente alta, suficiente para garantir a proteção aerodinâmica necessária para viajar com conforto. As pedaleiras ficam em excelente posição para pilotagem mais tranquila quando sentado no banco, ao mesmo tempo que permite ficar em pé sobre as mesmas com naturalidade e excelente ergonomia. O conjunto óptico possui dois faróis, um alto e outro baixo, em tamanhos diferentes, outra característica das motos da BMW.

Parabrisa e Farois da BMW R1200GS

Versões

A R1200GS existe em basicamente em 2 versões: A normal e a Adventure. A normal custa em torno de R$ 71 mil, enquanto a Adventure é R$ 20 mil mais cara. Dentre as diferenças, estão o tanque maior em 13 litros, com capacidade total de 33 litros, o que estende a autonomia da moto em mais de 50%. Pedaleiras maiores, protetores originais de fábrica e suspensões com ajuste eletrônico. Em contrapartida, a moto fica quase 30 kg mais pesada, o que faz da Adventure uma opção um pouco menos atraente para quem pretende colocar a moto na terra com mais frequência, além, é claro, da diferença de preço considerável.

BMW R1200GS e R1200GS Adventure

A GS “normal” pode ser equipada com um pacote de acessórios, que inclui rodas raiadas (mas mantendo os excelentes pneus sem câmara), que são melhores para o off-road, monitor de pressão dos pneus, ajuste eletrônico da suspensão, controle de tração e computador de bordo (que não são de série, e não vêm na versão básica).

Conclusão

As motos da BMW sempre foram diferentes das demais em vários aspectos, que geram estranheza em um primeiro momento, mas que com o tempo provam ser ótimas soluções, não apenas estéticas, mas funcionais também. Exemplo disso é o uso de um motor Boxer em uma Motocicleta, ou o uso de sistemas de suspensão completamente diferentes do resto do mercado, ou ainda, farois de tamanhos diferentes, ou painel com instrumentos assimétricos. São detalhes que tornam as motos da marca únicas.

A R1200GS é uma excelente big-trail, um conjunto extremamente robusto, confortável e confiável, que é tudo o que o viajante de longas distâncias precisa de uma moto. O capricho e o perfeccionismo comum aos Alemães se faz muito presente nesta moto. É uma moto boa para a estrada, boa para a terra e provavelmente boa para a cidade, versátil como poucas, ela pode dar saltos em meio a uma trilha fechada, como pode atingir velocidades superiores a 200 km/h em questão de segundos. Ela é surpreendentemente ágil e maleável, equiparável a modelos bem menores e mais leves do que ela. O centro de gravidade baixo e a geometria garantem uma condução perfeita em todas as situações. Não há defeitos na moto, exceto o preço, que é dos mais salgados atualmente no Brasil.

Ficha técnica

Motor
Tipo 4 tempos, 2 cilindros boxer, 8 válvulas, OHC acionado por corrente, refrigerado a ar e cárter úmido.
Cilindrada 1170 cc
Diâmetro x Curso 101,0 x 73,0 mm
Taxa de compressão 11,0:1
Potência máxima 105 cv @ 7.500 RPM
Torque máximo 12,51 kgf.m @ 5.500 RPM
Marcha Lenta 1.100 RPM +/- 100
Capacidade de óleo 4 litros
Combustível
Alimentação Injeção Eletrônica
Tanque de combustível 20 litros (33 litros Adventure)
Eletrônica
Ignição ECU/CDI
Partida Elétrica
Bateria 12V 14Ah selada
Farois 12V 55W H11 x2
Transmissão
Embreagem Disco único, seca, com acionamento hidráulico.
Câmbio Manual sequencial de 6 marchas
Transmissão final Por eixo cardã
Quadro
Tipo De duas seções (frontal e traseira), de treliça.
Dimensões
Comprimento 2.210 mm
Largura 940 mm
Altura 1.430 mm
Distância mínima do solo 185 mm
Distância entre eixos 1.507 mm
Trail 127 mm
Altura do assento 820~870 mm
Peso seco 203 kg (223 kg Adventure)
Peso em ordem de marcha 229 kg (256 kg Adventure)
Peso Bruto Total Máximo 435 kg
Capacidade máxima de carga 210 kg
Suspensão
Dianteira BMW Telelever, tubos de 41mm, amortecedor central único com regulagem de pré-carga de 5 posições.
Traseira Braço único BMW Paralever, com ajuste de pré-carga da mola, e ajuste hidráulico constante.
Roda dianteira De liga leve de 19 polegadas (Opcional raiada)
Roda traseira De liga leve de 17 polegadas (Opcional raiada)
Pneu dianteiro 110/80 R19 (sem câmara)
Pneu traseiro 150/70 R17 (sem câmara)
Freio dianteiro Dois discos flutuantes e ventilados, de 305 mm, mordido por duas pinças flutuantes de 2 pistões cada. Com ABS desconectável.
Freio traseiro Disco único ventilado, de 265 mm, mordido por pinça de 2 pistões, com ABS desconectável.
Preço sugerido (2012) R$ 70.900,00 Sport, R$ 91.900,00 Adventure.
Cores (2012) Vermelha, Cinza, Preta ou Triple Black.

E ai? O que achou do teste? Ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário!

Compartilhe!