Carta aberta contra a injustiça contra os motociclistas em Osasco

A injustiça contra os Motociclistas está cada dia maior. No dia 15 de Novembro eu e minha esposa tivemos uma grande dor de cabeça com um grande Shopping aqui de Osasco. No dia 18/11, escrevi uma e-mail a administração do estacionamento do Shopping, e como não obtive resposta, estou abrindo a carta ao público, para que seja de conhecimento geral.

Super Shopping Osasco


Para Condomínio Power Center Osasco

Boa tarde.
Eu sou Daniel Ribeiro, Casado, 25 anos, morador de Osasco, SP, telefone xxxx-xxxx.

Gostaria de fazer uma reclamação para a administração do estacionamento com relação ao trato das Motos e seus usuários.

Já freqüento o Walmart e as outras lojas (Cobasi, C&C, Sam’s Club e Super Shopping) do condomínio a muitos anos, e recentemente houveram modificações no estacionamento que me deixaram muito chateado. O estacionamento de motos, que antes era próximo a entrada do Walmart, no subsolo, foi movido para a beirada do terreno do condomínio, próximo ao posto de gasolina. Esta mudança fez com que, quem chega de Moto ao condomínio tem de andar muito mais para ter acesso as lojas, o que certamente é um grande incomodo.

Porém, o que mais me deixou chateado foi terem diminuindo a quantidade de vagas para moto. É muito comum ver o estacionamento de motos lotado, enquanto o estacionamento de carros sempre está disponível aos clientes. Ao tentar entrar no condomínio pela entrada de carros, para ocupar uma vaga de carro livre, fui barrado pela segurança, que, entre outras atitudes, ostentou sua arma de fogo, intimidando e constrangendo a mim e a minha esposa, que estava comigo. Pensei até em ir a delegacia para registrar um boletim de ocorrência, porém, acredito que com um pouco de conversa civilizada podemos resolver tudo, então é por isso que lhes dirijo esta carta.

Nesta ocasião, no último sábado a tarde, eu dirigi a minha moto até a entrada de carros, e fui parado em frente a cancela (Próximo ao Sam’s Club). O segurança se atirou na frente da moto, impedindo a minha passagem. Ele solicitou que eu fizesse meia volta e voltasse pela contra-mão, porém, eu me recusei a fazer isso, e fiquei exatamente onde estava, esperando por um posicionamento oficial do condomínio com relação a minha possibilidade de ocupar uma vaga de carro, afinal, as vagas para motos estavam todas ocupadas e havia uma grande fila de espera.

Perante a lei, somos todos iguais, e a constituição garante a todos o direito de ir e vir, e o direito a propriedade. Sendo o condomínio Power Center um empreendimento comercial aberto ao público, entendo que o meu direito de estacionar é o mesmo direito de um motorista de carro, então, se há vagas livres para um carro, também há para a minha moto. Foi baseado neste argumento que eu me coloquei a esperar por uma posição oficial de algum funcionário do condomínio com poder de decisão sobre os seguranças do estacionamento, que seguramente estavam defendendo uma posição errônea perante as leis Brasileiras.

O resultado desta ação (de eu ter ficado esperando em frente a cancela na entrada do condomínio) é que a fila de carros atrás de mim começou a crescer rapidamente, extrapolando inclusive os limites do condomínio e prejudicando o tráfego nas ruas próximas. Minha intenção era esta mesmo: Passar ao condomínio a responsabilidade pela fila, afinal, se a fila não está andando, é porque a cancela não abriu para que eu pudesse passar (lembre-se, meu direito de ir e vir).

Após alguns minutos, a situação já estava caótica, e uma viatura da polícia chegou, para resolver um problema de outro cliente de uma das lojas, porém, aproveitei que estava ali, com fácil acesso, e pedi a minha esposa que fosse até eles perguntar se poderiam fazer algo para nos ajudar. O oficial nos informou que nós estávamos no nosso direito de querer entrar, e que o segurança do condomínio, ao me constranger, está cometendo um crime (artigo 146 do Código Penal Brasileiro), e que eu poderia registrar um BO por isso. Também nos informou que a segurança do shopping não poderia contar com a polícia para remover a moto da passagem, pois ela não está ali cometendo nenhum crime ou infração.

Após ser informado que o gerente do estacionamento viria até o local, decidi retirar a moto da passagem, para permitir que os carros atrás pudessem entrar no condomínio, e fiquei esperando por mais 10 minutos. O rapaz que se apresentou disse exatamente o mesmo que os seguranças, porém de forma mais civilizada, e continuou a não permitir que eu entrasse.

Eu estava querendo entrar para retirar nosso bicho de estimação, que estava no Cobasi para banho e tosa. Muito tempo foi perdido com este episódio e como eu já tinha outros compromissos, eu tinha de retirar o bicho do Cobasi com certa urgência (a esta altura, já havia perdido cerca de uma hora do meu dia). Então eu sai e procurei outra entrada de carros (desta vez, próximo aos caixas eletrônicos), então, parei minha moto na entrada (em frente a cancela), minha esposa desceu da moto e foi a pé buscar o bicho no Cobasi, e enquanto isso eu fiquei lá, esperando o retorno dela em baixo da marquise que demarca a entrada. Mais uma vez os seguranças estavam pedindo para que eu retira-se a moto, porém, me recusei em todas elas e simplesmente parei de argumentar. Fiquei esperando lá até minha mulher retornar, então fomos embora.

Reconheço que uma atitude como esta pode parecer aos olhos dos leigos como uma algazarra, vandalismo ou qualquer coisa que o valha, porém, basta olhar com sobriedade para perceber que é apenas um pequeno protesto contra uma injustiça que está sendo cometida contra a população e contra os clientes das lojas. Reconheço também que existe um problema grave com alguns motociclistas, que fazem algazarra dentro das dependências do condomínio, ou ainda, pessoas que vão de moto para locais próximos aos do condomínio (como a Faculdade ou o Centro de Osasco) e que deixam suas motos no estacionamento, sem consumir em nenhuma das lojas e apenas gerando custo para as mesmas. Porém, acredito que a solução neste caso deve ser em prol de quem é cliente e quer consumir nas lojas, e não em prol de quem vai de carro simplesmente, pois isso é uma forma de discriminação sem precedentes.

Em uma vaga de carro cabem 5 motos. Ao aumentar o estacionamento de motos em detrimento de 20 vagas de carro, 100 vagas de moto seriam criadas, e certamente atenderiam a demanda atual por vagas de estacionamento. A população de motos da cidade está aumentando muito mais rápido do que a de carros e esta é uma realidade que o condomínio deve prever.

Se aceita algumas sugestões para solucionar o problema, relaciono abaixo:
– Dobrar a capacidade do estacionamento de motos, ou aumentar em pelo menos 100 vagas.
– Cobrar pelo serviço de estacionamento das motos. (Promover isenção para clientes que comprovarem consumo em uma das lojas)

Fico aguardando uma resposta oficial do Power Center Osasco, que servirá ao mesmo tempo para a minha compreensão e também será divulgada no blog Motos Blog, de minha propriedade.

Atenciosamente
– Daniel Ribeiro

O Power Center é um condomínio empresarial que possui diversas lojas. As principais são o hipermercado Walmart, o Pet Shop Cobasi, a casa de materiais de construção C&C, o clube de compras em atacado Sam’s Club e o Super Shopping Osasco. Neste condomínio estão praticamente todas as lojas que freqüento. É lá onde eu faço supermercado todo mês, onde levo meus bichos para tomar banho, onde compro roupas, vou ao cinema, compro materiais e ferramentas, enfim, quase todo o dinheiro que eu gasto é lá. Por conta do péssimo serviço de estacionamento, eu estou tendo que direcionar minhas compras para outras lojas, todas umas longe das outras. Agora faço compras em Alphaville, compro roupas em outros shoppings, compro materiais e ferramentas no centro… E ainda existem coisas que só posso fazer neste condomínio, como levar os bichos para banho e tosa, pois os pet-shops da região não são tão bons.

Ou seja, por conta da ignorância de alguns administradores, minha vida ficou mais difícil. Eu perco muito mais tempo me deslocando para comprar as coisas que tenho de comprar sempre. Ou então, me sujeito a esperar em uma fila dentro de um corredor, onde uma vez dentro, não é possível desistir, e tenho de esperar as vezes até 30 minutos por uma vaga.

Eu não ligo de pagar estacionamento, desde que o serviço seja bom. Hoje o estacionamento é grátis para as 3 primeiras horas. O que não pode é deixar o estacionamento precário e usar como desculpa “é de graça”, pois não é… Meu dinheiro gasto nas lojas paga muitas vezes o custo do estacionamento da minha moto.

Compartilhe!