Asfalto, terra, lama e cascalho em Santo André, SP

Depois de meses de desencontros, ora por compromissos, ora pelo mal tempo, finalmente deu certo um passeio sugerido pelo meu amigo Marcelo de Barros, do Blog MotordoMundo, pelos caminhos que chegam a Vila de Paranapiacaba, nos limites de Santo André, na Grande São Paulo.

Era Sábado à tarde quando eu descobri que a minha sogra – que chegaria no Domingo pela manhã – perdeu o ônibus e teve que adiar a chegada em um dia. Essa era a minha janela! Corri para ver se o Marcelo estava livre e finalmente deu certo.

Esta seria a primeira tentativa real de colocar a V-Strom na terra, então tinha que ser um percurso nível “principiante“. Para bem ou para mal, as constantes chuvas nas semanas anteriores, e o clima “mais ou menos” dos últimos dias antes do passeio fizeram com que o caminho ficasse um pouco mais difícil, mas não ao ponto de nos desencorajar a ir.


Ver mapa maior

Então conforme combinado, no Domingo cedo estávamos no ponto de encontro no Riacho Grande, a beira da represa Bilings, e então seguimos em direção a entrada da vila, que é dividida em duas partes: Alta e baixa. A parte alta pode ser acessada por asfalto, enquanto a parte baixa só pode ser acessada por quem encara uma estrada de cascalho e terra, relativamente fácil de transpor.

A “brincadeira” começa a ficar mais interessante a partir da Vila Paranapiacaba, em direção a Vila Taquarussú. A trilha, mais fechada e com mais vegetação em volta, terra e lama, é mais desafiadora e exige mais do piloto. O vídeo a seguir da uma noção de como foi o passeio.

Na Vila Taquarussú, não há absolutamente nada a fazer a não ser bater papo e ser mordido por mosquitos “borrachudos”.

Depois de passar um tempo lá, decidimos voltar e tomar um suco de Cambuci na Vila Paranapiacaba (recomendo, é muito bom). E depois de um pequeno passeio pela vila, voltamos pelo mesmo caminho e, já no asfalto, seguimos o rumo de casa.

É um passeio curto, do tipo que dá para fazer em uma manhã, mas é bem bacana, vale a pena para conhecer uma vila histórica de Santo André e para despertar interesse em quem é novato no off-road, como eu.

Foto: Marcelo de Barros

Curtiu o passeio? Tem alguma sugestão de lugar legal para ir fazer trilha e que não seja muito difícil? Deixe um comentário!

Compartilhe!