GravatarMotos Blog » Destaques, Dinheiro

Comprar uma moto: Consórcio ou Financiamento?


Uma dúvida muito comum na hora de comprar uma Moto é sobre a melhor forma de financiar. O que é melhor? Consórcio ou financiamento? Saiba tudo sobre as duas principais modalidades de crédito.

Uma moto é um bem, muitas vezes caro, e que como todo bem caro, exige certo planejamento para a compra. A melhor forma de comprar qualquer coisa é A VISTA, ou seja, você tem o dinheiro, paga integralmente e leva pra casa. Porém, nem todo mundo tem dinheiro disponível para comprar uma moto, então tem de recorrer as modalidades de crédito.

Vou explicar rapidamente o que é Financiamento e o que é Consórcio, e depois vou detalhar mais:

Financiamento

É uma forma de crédito onde o você toma um empréstimo do banco, e como garantia de pagamento, oferece a moto que está sendo comprada. Ou seja, a moto é do banco até que você termine de pagar o empréstimo. No financiamento existe uma TAXA DE JUROS, que é o lucro que o banco ganha ao emprestar o dinheiro. Se você toma 10 mil reais emprestado do banco, e paga isso em 15x de 1000 reais, no fim vai ter devolvido 15 mil reais, 5 mil a mais do que tomou emprestado. Esses 5 mil são os juros.

Consórcio

O consórcio, ao contrário do financiamento, não é um empréstimo. O consórcio é um grupo de pessoas interessadas em comprar um bem comum (no caso, uma moto). Esse grupo de pessoas, todos os meses, fazem uma contribuição em dinheiro para o grupo. A soma de todas as contribuições é suficiente para comprar uma moto, e então, essa moto é sorteada e alguém do grupo leva a moto pra casa. No Consórcio, não existe lucro, então, não há juros. A moto é da Administradora do consórcio até que você tenha pago todas as parcelas.

E o que é melhor, consórcio ou financiamento?

Como você percebeu, o financiamento é mais caro, pois você acaba pagando juros ao banco. Porém, a moto sai na hora, e você não precisa esperar ser sorteado. É a forma mais rápida de crédito. Já no consórcio, você precisa esperar ser sorteado (ou ter o maior lance, vou explicar mais adiante). O que para algumas pessoas é um inconveniente, pois afinal estão pagando mas não estão usufruindo da moto.
Se você não tem tanta pressa para ter a moto na garagem, então o consórcio pode ser uma boa alternativa. Mas se tem pressa, o financiamento é melhor.

Uma análise mais detalhada do Consórcio

O consórcio, como falei, é um grupo de pessoas interessadas em comprar um bem comum. Vamos imaginar uma moto de 10 mil reais e 10 pessoas querendo compra-la. Temos então 10 pessoas interessadas em comprar uma moto de 10 mil reais cada, totalizando 10 Motos. Vamos imaginar também que elas queiram parcelar a moto em 10 vezes.

No primeiro mês então, as 10 pessoas podem contribuir com 1000 reais cada, totalizando 10 mil reais. Com esses 10 mil reais, o grupo compra uma moto, e sorteia entre essas 10 pessoas. E então, uma delas leva a moto pra casa. No próximo mês, junta-se novamente as 10 contribuições de 1000 reais e compra-se uma outra moto, e assim, sorteiam-a entre as 9 pessoas restantes. E assim vai até que todas as pessoas tenham levado uma moto pra casa.

Percebeu? Em 10 meses, todos estão com motos, e não pagaram juros. Porém, algumas pessoas foram sorteadas logo no inicio, outras, no fim do plano. Portanto, como é um sorteio, que depende da sorte, não é possível determinar exatamente quando a moto vai sair para cada pessoa. Sabe-se apenas que ela sairá em, no máximo, 10 meses.

O Lance

Agora imagine que 20 pessoas se unem para comprar a mesma moto de 10 mil reais em 10 meses. Se cada uma contribuir com 1000 reais por mês, a cada mês, teremos 20 mil reais, que são suficientes para comprar duas motos. Uma é sorteada entre os 20 membros do grupo, e a outra é dada a quem deu o maior lance. O lance nada mais é do que um adiantamento de parcelas. Cada pessoa pode adiantar quantas parcelas quiser, e desta forma, reduzir o prazo de contribuição para o grupo. Ou seja, quem adiantou mais dinheiro para o grupo merece levar uma das motos.

Vamos supor então que as 20 pessoas pagaram os 1000 reais no primeiro mês, mas uma dessas pessoas deu um lance de 5 mil reais. Então, no primeiro mês, serão 20 mil reais em contribuições + 5 mil em lance, totalizando 25 mil reais. Com esses 25 mil reais, compra-se duas motos, uma é sorteada entre os membros, e outra é dada a pessoa que deu o lance. E os 5 mil reais que sobraram são aplicados em uma poupança.

No próximo mês, as pessoas contribuem novamente com 1000 reais cada, e outra pessoa dá outro lance de 5 mil reais. Então, novamente são compradas duas motos, e uma é sorteada, e outra é dada a pessoa que deu o lance. Porém, somando os 5 mil reais do lance deste mês + os 5 mil do mês passado, temos 10 mil, que são suficientes para comprar uma terceira moto este mês. Então, a moto é comprada e é sorteada.

Percebeu a diferença? Neste mês, em vez de duas, foram tres motos compradas. Duas foram sorteadas e uma foi para o maior lance. Em 2 meses, 5 motos foram entregues.

Assim como o adiantamento das parcelas pode adiantar o andamento do grupo, o atraso pode atrapalhar. Vamos supor que não exista lance e que 2 pessoas não pagaram sua contribuição mensal. Então, com 18 contribuições, só se pode comprar uma moto, que é sorteada entre os membros que pagaram. Os 8 mil que sobram são guardados em uma poupança. Se a inadimplência do grupo aumenta, existe até mesmo a chance de não sair nem uma moto no mês.

Geralmente as administradoras de consórcio criam regras para a participação, como por exemplo, a inadimplencia máxima de 3 meses. Quando um grupo passa a ter muitos inadimplentes, as pessoas que pagam direitinho são transferidas para outro grupo, substituindo os inadimplentes deste e mantendo o grupo “saudável”. Além disso, geralmente elas cobram um pouco a mais nas parcelas, que vai para o fundo de reserva, que serve justamente para cobrir os buracos deixados pelos inadimplentes. E esse dinheiro é devolvido ao final do plano.

E por último, a empresa que administra os grupos de consórcio cobram uma taxa por este serviço. No fim, o bem acaba saindo entre 15% e 20% mais caro do que o valor a vista, porém, ainda assim é bem mais barato do que financiar.

E a poupança?

Poupar pode significar ter o bem ainda mais rápido do que no consórcio. Pois você não pagará a taxa de administração, reduzindo assim o custo total da compra. A diferença é que você não participa de nenhum sorteio, e não concorre a levar a moto nos primeiros meses. Essa modalidade é ótima para quem tem disciplina e não tem pressa nenhuma para comprar a moto.

Espero ter esclarecido o assunto. E caso tenha duvidas, fique a vontade para perguntar nos comentários!

Compartilhe este texto!


Digite o seu nome e e-mail abaixo e saiba quando o Motos Blog é atualizado! Receba as últimas notícias diretamente no seu e-mail! É GRÁTIS!

Seu nome
Seu E-mail