A importância dos equipamentos de proteção

No sábado retrasado eu caí com a Moto. Esta não foi a primeira vez que caí e certamente não será a última. Assim como das outras vezes, desta vez eu não me machuquei também, grande parte graças aos equipamentos que eu estava usando.

O tombo não foi muito grande. Eu já estava lento no instante que caí, mas ainda assim poderia ter me machucado mais seriamente.

Eu vinha com minha Falcon a uns 70 km/h mais ou menos, estava chegando a uma curva fechada de 180 graus, um retorno a esquerda. Tinha um carro que eu queria ultrapassar antes de fazer a curva, e assim fiz. Quando eu cheguei na curva, eu ainda estava a uns 40 km/h, mas a curva era bem pequena e fechada, e (não sei o que me deu) tentei fazer a curva deslizando a roda traseira, como nas Motos SuperMotard… A curva foi linda até a metade, quando começou a segunda metade, a roda traseira saiu demais, e eu estava acelerando, então já viu né? A moto deu quase um 180 e me cuspiu longe.

Eu caí com o ombro direito no chão, rolei umas 4 vezes até parar. Imediatamente levantei e fui até a moto, que ainda estava ligada. Empurrei para o canto da pista e liberei a passagem para os carros, então parei para avaliar a situação.

Senti que bati o joelho enquanto rolava, e a mão direita também. Mas não havia cortes nem escoriações, apenas um pequeno furo na mão. O maior impacto foi mesmo no ombro direito e na cabeça. Eu estava usando a minha Jaqueta com proteções e o meu Capacete novo (que agora não é mais novo), e por isso nada sofri.

Na moto, entortou guidão, ralou a carenagem do farol e um pedacinho do pára-lama, ralou o protetor do escapamento e o pisca dianteiro direito bateu na asa do tanque e fez um pequeno ralado na pintura fosca. O Bauleto saiu da base quando a moto caiu. Também ralou atrás do espelho direito, mas não quebrou.

Quando cheguei em casa, eu percebi que meu joelho estava um pouco inchado, mas coloquei gelo e o inchaço diminuiu, mas fiquei 1 dia sem poder encostar ele em nada.

Consertei os estragos na moto na mesma semana. O Guidão eu desentortei usando uma outra barra de ferro, afinal ele havia entortado bem pouco. O protetor do escapamento pode ser trocado facilmente, mas eu resolvi deixar como está, pois eu vou colocar o Coyote novamente este fim de semana. O espelho eu pintei, o pára-lama e o bauleto eu vou deixar do jeito que está, pois o raladinho nem aparece. A carenagem do farol eu já troquei por uma nova.

Conclusão: Eu só machuquei nos lugares que não estavam protegidos (pernas e mão). O pior é que eu tenho luvas e calça com proteção, mas não estava usando. Reconheço que a calça é meio incomoda mesmo e ficar tirando e colocando ela o tempo todo é difícil. Mas as luvas foram vacilo mesmo. Eu deveria estar usando. Agora não saio mais sem elas.

Compartilhe!