Capacete Yohe 908 – Impressões após 1 ano de uso

Como prometi, vou escrever um pouco mais sobre o meu antigo Capacete, o Yohe 908. Quando eu comprei ele, eu fiz um review aqui no Motos Blog, que foi muito acessado inclusive. Como ele ainda era novo e tinha pouco uso, não consegui deixar minhas impressões com muita segurança, mas agora, depois de 1 ano de uso, já tenho muito o que falar dele.

Capacete Yohe 908



Para começar: O capacete vale os R$ 300,00 que paguei nele. É um capacete com peso razoável (1,7 kg), com acabamento geral e boa viseira. Por R$ 300,00, não conheço nenhum custo-benefício melhor. Mas ainda assim, não dá para esperar muito deste capacete.

Na primeira semana que o usei, um motoqueiro caiu sozinho ao meu lado, e (não me pergunte como), a ponta do guidão da Moto dele bateu na lateral da minha viseira, fazendo-a ganhar o primeiro risco. Foi um impacto muito besta, não deveria ter riscado a viseira por tão pouco, mas de qualquer forma, riscou.

Usei o capacete por um bom tempo, até cair com a Falcon e testar se ele realmente é seguro. O capacete absorveu muito bem o impacto na parte do queixo e atrás da cabeça, porém, depois do tombo, ele ficou muito comprometido. O casco ficou mais “flexível” do que deveria, e era possível deformá-lo apenas com a força das mãos.

Não deveria, mas continuei usando o capacete por uns 3 meses, neste tempo, ele caiu sozinho (sem a minha cabeça dentro) duas vezes, numa delas inclusive a viseira pulou repentinamente, mas não quebrou, e puxe encaixá-la novamente.

A conclusão que cheguei é: O capacete é seguro e é descartável. É confortável, silencioso e com boa aerodinâmica, porém, deve ser REALMENTE descartado no primeiro tombo. Todos os capacetes na verdade devem ser descartados com qualquer tombo, mas este se mostrou muito frágil depois de cair, o que torna a troca ainda mais urgente do que nos outros capacetes que já pude testar. Mas por R$ 300,00, a troca nem se torna tão complicada. Vale ressaltar que ele continua sendo um capacete para baixas velocidades (abaixo de 150 km/h). Para andar mais rápido que isso, é melhor não arriscar e comprar um capacete mais “tradicional”, tipo Shoei, Shark, AGV, Arai, etc…

Abaixo algumas fotos do capacete após 1 ano de uso diário. Clique para aumentar.

Compartilhe!