Não compre moto carburada!

Se você pensa em comprar uma Moto, tenho uma dica para você: NÃO COMPRE MOTO CARBURADA.

Você deve estar se perguntando: Porque raios isso agora? Para isso, é preciso entender o que é um carburador.
Os motores precisam de gasolina para funcionar, mas a gasolina não entra em estado líquido dentro da câmara de combustão. Ela precisa ser pulverizada e, junto com uma grande quantidade de ar, ela se torna um gás, que entra no motor e é queimado. Esta é a base de funcionamento de qualquer motor de combustão.

Quem converte a gasolina líquida em gás é o carburador, mas o carburador possui um substituto muito melhor, que é a Injeção Eletrônica. A injeção Eletrônica, como o próprio nome diz, possui meios eletrônicos para funcionar. Ela possui uma programação interna, definida por software, e foi criada para resolver alguns problemas que eram impossíveis ao carburador, pois este é uma peça integralmente mecânica, que não possui a capacidade de se adaptar a diferentes situações do funcionamento de um motor.

Carburador CBR1000F 1993

Exemplo prático: Você colocou gasolina “suspeita” na moto? Se a alteração não for muito gritante, a Injeção Eletrônica consegue se adaptar automaticamente e você provavelmente não vai perceber nada.

Mas essa não é a única vantagem. A injeção eletrônica acaba com o afogador. Sabe aquela linguetinha que fica no corpo do carburador ou no guidão e que você nunca entende se tem que acionar para ligar a moto no frio? Pois é, não tem mais isso. As partidas são sempre fáceis, no frio ou no calor, com o motor quente ou com o motor frio. Você também não precisa ficar acelerando a moto para aquecer o motor nos primeiros segundos, pois a Injeção Eletrônica se encarrega de ajustar a marcha lenta automaticamente.

Outra vantagem: Injeção Eletrônica não tem medo de altura. Se você está no litoral ou nos Andes Chilenos, tanto faz, a injeção eletrônica se ajusta automaticamente as variações de altitude. Se fosse com uma moto carburada, você precisaria interromper sua viagem no meio para trocar os giclês e regular o carburador para as diferentes pressões atmosféricas. Carburador não gosta de variações superiores a 1 mil metros.

A 3.300 metros de altitude – Foto: Piréx

A 3.300 metros! Foto: Piréx

Mas a principal vantagem da Injeção Eletrônica é a seguinte: A moto fica na sua casa, e não na oficina. Injeção Eletrônica não dá manutenção. Muito raramente, uma limpeza de bicos injetores é necessária, e isso só se você não usar a moto com frequência. Problemas com componentes como centralina e sensores são extremamente raros.

Carburador é ótimo para dar problema. Se você gosta de deixar sua moto mais tempo com o mecânico do que na sua garagem, gastar uma grana preta com boias, com giclês, diafragmas, com parafusos de 2mm que custam os olhos da cara e não se acham mais para comprar, então moto carburada é o que você precisa (e seu mecânico agradece).

Um grande amigo meu recentemente perguntou “Qual moto eu compro? Estou pensando em pegar uma Hornet”. A minha resposta foi simples: “Qualquer uma que seja injetada. Hornet, só se for 2008 ou mais nova”. E essa é a dica que dou para todos que me perguntam.

Então, se você não quer ter dor de cabeça, quer uma moto que sempre ligue no primeiro toque no Start, que seja econômica, não dê problema e seja confiável, esqueça as Motos com carburador. O carburador já caiu em desuso a mais de uma década nos carros e nas motos ainda hoje há este legado maldito. Já chega né?

Que você acha? Já teve algum problema com carburador? Teve algum passeio arruinado por um problema desses? Diga ai o que acha!

Compartilhe!