Como viajar rápido

No final de semana retrasado, eu e a Luana fizemos uma viagem de emergência, e aprendemos algumas lições importantes com relação a viajar rápido.

Acelera!


O título pode soar estranho num primeiro momento, mas vai fazer sentido a medida que for desenvolvendo o assunto. No final de semana passado um parente em Foz do Iguaçu passou por um problema de saúde, e nós, aqui em São Paulo, decidimos ir até lá para acompanhar o tratamento mais de perto. Entre a notícia e a viagem foram apenas 2 horas, tempo que levamos para organizar a viagem e partir.

Acredite, a primeira lição já foi aprendida antes mesmo de iniciar a viagem: Levamos duas preciosas horas para partir. Isso é muito tempo para quem tem pressa.

Tenha uma mala de emergência

Mala de emergência do Sheldon


O Blog Efetividade.net já deu uma dica sobre organizar uma mala de emergência, e quem assiste a série “The Big Bang Theory” já deve ter visto a mala de emergência do Sheldon. É uma mala pequena com tudo o que você precisa para abandonar a cidade em 30 segundos. Nela há uma ou duas trocas de roupas, artigos de higiene pessoal, os documentos mais importantes, algum dinheiro, e até alguns mantimentos com longo prazo de validade.

Se tivéssemos dado atenção a este conselho, teríamos reduzido drasticamente o tempo de preparo da viagem.

Mantenha o tanque cheio

Abastecendo a Moto


Outra tarefa que nos custou um tempo precioso foi a primeira parada no posto de gasolina para encher o tanque. Se eu tivesse guardado a moto com o tanque cheio, poderia parar para abastecer depois, e economizaria uma parada.

A viagem não evolui quando se está parado

Parada que leva no mínimo meia hora


Parar para descansar é importante, mas quando se tem pressa, deve-se parar menos vezes, e cada parada deve ser mais curta. Parar e entrar num café ou restaurante de beira de estrada pode consumir muito tempo, pois você acaba entrando no “circuito do consumo”, que começa quando você pega a comanda na entrada e paga por tudo o que consumiu na saída. Isso toma um tempo enorme. Prefira parar nestes lugares apenas para fazer as refeições principais. Se é apenas para esticar as pernas, pare em um posto de gasolina, e aproveite para encher o tanque.

Dormir é importante

Hotel dos sonhos?


Se a viagem for longa, provavelmente você vai precisar dormir no meio do caminho. Planeje dormir no seu horário habitual, mas também considere a possibilidade de esticar um pouco a noite a fim de deixar um trecho menor para ser percorrido no dia seguinte. Assim, você chega menos cansado ao seu destino para fazer o que foi fazer lá.

Planejar a noite de sono é importante. Quando se tem pressa, você acaba sacrificando horas de sono para poder viajar mais. Porém, isso pode não ser uma boa idéia, pois dormindo pouco, você logo ficará com sono, e vai acabar parando a todo instante para descansar e tomar café, desta forma, tirando toda a vantagem que as horas de sono a menos lhe deu. Durma pelo menos 4 horas.

Eu particularmente prefiro parar em Moteis em vez de Hoteis, isso porque os processos de checkin e checkout são mais simples e rápidos, porque a moto fica bem perto do quarto, em uma vaga privativa, o que evita que seja necessário “desmontar a bagagem” da moto, e porque geralmente é mais barato. É tudo o que o viajante precisa.

Correr não vale a pena

Correr!


Exceder o limite de velocidade da via dificilmente vai fazer sua viagem andar mais rápido. Minha moto, por exemplo, faz 19 km/l andando a 130 km/h. Como o tanque tem 22 litros, então posso fazer 418 km por tanque. Andando a 170 km/h, o consumo aumenta para 10 km/l, o que me permite andar apenas 220 km por tanque.

Veja bem: A 130 km/h vou percorrer 418 km em 3h10. A 170 km/h, vou percorrer 418 km em 2h25, mas vou precisar parar para abastecer uma vez no meio do caminho, e perder pelo menos 10 minutos com isso, portanto, 2h35. No fim, o tempo gasto caiu apenas 35 minutos em mais de 400 km, e em troca disso, gasta-se quase o dobro com combustível e ainda estamos arriscando a tomar multas, e aumentando consideravelmente a chance de sofrer um acidente.

Considere ir de avião


Se a viagem for para muito longe (como foi o meu caso), o avião pode ser uma boa alternativa. O custo pode ser até inferior ao da viagem de moto e o tempo de viagem certamente é menor.
Eu não fui de avião pois eu precisava da moto lá para me locomover pela cidade, e porque eu pretendia aproveitar a viagem para trazer mercadorias do Paraguai que certamente não passariam despercebidas pelo raio-x do aeroporto. Além disso, os horários dos vôos não eram vantajosos, pois no fim chegaríamos no mesmo horário.

Se o objetivo da viagem é simplesmente chegar ao destino, então a moto se torna apenas um veículo, que pode ser substituído por outro caso este outro apresente vantagens. É diferente de quando, por exemplo, você viaja a passeio, quando o tempo de viagem é pouco importante, e o destino, menos ainda.

Compartilhe!