Mochila Ogio No-drag – Teste Completo

No final do ano passado a West Coast, fabricante de calçados do Rio Grande do Sul, nos enviou dois super brindes, um par de botas e uma mochila, para divulgar a nova rede social para Motociclistas, o West Coast Riders.

As botas, apesar de muito legais, no fim não ficaram comigo, e sim com a Luana, já que eles não fabricam calçados para o meu tamanho de pé (46). Logo a Luana vai fazer um review deste calçado, mas hoje eu vou falar do outro presente, que é a Mochila No-Drag da Ogio.

História

Ogio No Drag


Essa mochila é especial para mim, e a história é longa, mas resumindo, desde que me entendo por gente quis ter uma mochila com casco rígido. Na época que as mochilas Boblbee foram lançadas, eu fiquei maluco, mas como não sou milhonário, e naquela época nem mesmo cartão de crédito eu tinha, só podia ficar babando. Além disso, simplesmente não existia importador dessa mochila no Brasil, então se eu quisesse ter, teria que arriscar pedir pelo eBay, o que para mim era um risco que simplesmente não podia correr naquela época. Então acabei desistindo.

Boblbee Megalopolis

Eis que, bem mais tarde, aparece a Ogio No-Drag. Quando vi a mochila pessoalmente, fiquei maluco de novo! O casco semi-rígido me pareceu muito mais interessante, e a possibilidade de ter ela era bem maior, já que estava disponível a pronta entrega na loja. Só me desanimou um pouco ao saber o preço: R$ 800,00. Como na época eu não precisava de mochila simplesmente por não precisar carregar nada no meu dia-a-dia, acabei adiando a compra e economizei o dinheiro. Menos de 1 mês depois, a West Coast me manda, de graça, a mesma mochila! É muita sorte, não?

Mochila Ogio No Drag

De lá para cá, comecei a usar óculos e mudei de emprego, o que me obrigou a carregar a caixa e o óculos, gravatas, outros pertences e eventualmente levar um notebook e alguns documentos, então a mochila passou a ser necessária e usada diariamente.

A mochila

Mochila Ogio No Drag


A Ogio No-Drag é uma mochila bem diferente das mochilas comuns. A característica mais marcante dela é, certamente, o casco semi-rígido, impermeável, e de formato de semi-fuso. A idéia é que este casco seja um “complemento” do desenho do corpo, tendo um formato aerodinâmico e gerando pouca ou nenhuma turbulência – daí o nome NO-DRAG, sem arrasto aerodinâmico em português. É uma mochila feita para andar de Moto, inclusive em alta velocidade.

O casco não possui aberturas de qualquer tipo, nem zíper, nem botões, nada, ele é totalmente liso. Para acessar a parte interna da mochila, há um grande zíper na parte que fica escondida sob o casco. Eu achei esta solução muito legal pois torna impossível abrir a mochila enquanto ela está nas costas de alguém. É útil, por exemplo, para usa-la em meio a grandes multidões, onde o risco de que alguém furte os pertences da mochila é grande. Além disso, nunca há a preocupação de estar andando com a mochila aberta. Ela sempre está fechada.

Costas da Mochila Ogio No Drag

A abertura nas costas da mochila é grande, e abre o espaço por completo. Com ela aberta, é possível ver tudo o que ela tem. Vou começar pelos 3 bolsos internos. Estes bolsos ficam na altura central da mochila, que é onde o casco está mais saliente, ou seja, no maior espaço interno dela. São bolsos independentes, com sua boca fechada por elástico, o que garante que qualquer coisa que seja colocada lá fique no lugar. Além destes bolsos, o restante do espaço é grande, mas não muito. Cabe umas duas ou três toalhas de banho, ou uma troca de roupa completa.

Mochila Ogio No Drag aberta

Na tampa, que é o que fecha a mochila e fica em contato com o usuário, há um bolso para documentos (cabe um envelope dos grandes e umas 50 folhas de papel), um bolso para um notebook de até 15 polegadas, e um outro bolso menor para mais papeis. Há também pequenos bolsos para organizar coisas menores, como pendrives, canetas, pilhas, e o que mais for necessário.

Bolsos da tampa da mochilla Ogio No drag

Do com a mochila fechada, mas ainda na parte das costas, há mas dois bolsos: Um na parte superior, revestido com veludo internamente, e grande suficiente para carregar um discman (é, eu sei), e outro em baixo, de onde sai uma capa elástica para carregar um Capacete.

Bolso para Diskman


Rede para carregar capacete

Sim!!! Essa mochila carrega um capacete em cima do casco! Fica esquisito, mas se você quer levar um capacete extra e não tem Bauleto, essa é uma excelente alternativa.

Ogio No Drag e capacete

As alças da mochila são grossas, e dá para ver que são extremamente resistentes. Elas são acolchoadas, assim como a tampa da mochila (que fica em contato com as costas). É de material respirável e impermeável. Há dois bolsos nas alças também, que são úteis para levar um celular pequeno, ou um MP3 player. Eu particularmente levo o controle remoto do portão nesse bolso, que também é a prova d’água.

Alças da Ogio No drag

Para garantir a estabilidade da mochila em alta velocidade, ela conta com uma trava que une as duas alças na altura do peito, o que deixa ela bem justa. Além disso, há uma espécie de cinto na parte inferior, que dá a volta em toda a cintura do usuário, desta forma, a mochila fica completamente grudada ao corpo, não deixando espaço para entradas de ar falsas.

Ogio No Drag (Foto: SuperMotoJunkie.com)

É uma mochila extrema em todos os sentidos. De construção forte, impermeável, com casco aerodinâmico e recursos que são difíceis de encontrar em outros modelos. Quem olha para ela logo entende para que foi feita. Se você procura por uma mochila para andar de moto, que seja esportiva e confortável, pode comprar sem medo.

Agradeço a West Coast e a Mazah publicidade. Fiquei muito feliz com o presente!

Compartilhe!