O Trânsito de São Paulo

Ultimamente eu tenho ido muito para São Paulo, e mesmo de Moto, tenho sofrido bastante com o trânsito da capital paulista.

Trânsito congestionado na Rebouças



Para quem não sabe, eu moro em Osasco, cidade vizinha a São Paulo, parte da mesma região metropolitana. Até a semana passada, eu trabalhava em Alphaville, bairro de Barueri, que é outra cidade vizinha de Osasco, e portanto, não passava por São Paulo para ir trabalhar todos os dias. Barueri fica a Oeste, e São Paulo, a Leste de Osasco.
O trânsito para Alphaville, apesar de carregado, nunca foi um problema, e eu sempre conseguia chegar ao escritório em menos de 20 minutos. O trajeto era quase inteiro por ruas largas e que permitiam transitar pelos corredores sem maiores problemas.

Porém, desde o final do ano passado tenho vindo muito para São Paulo, em especial, a região da Avenida Paulista, próximo a estação de metrô Brigadeiro. Eu vinha para dar carona para a Luana, que estava fazendo alguns cursos na região. E na semana passada eu troquei de emprego, e o novo escritório fica justamente na mesma região.

Avenida Paulista

O que tenho percebido é uma grande dificuldade para ir trabalhar todos os dias. O trânsito é simplesmente travado. As faixas são estreitas e dificultam muito a passagem pelo corredor. Ainda assim, há muita desorganização no trânsito, e isso impacta diretamente na fluidez das Motos. Tenho levado cerca de 50 minutos para ir de casa ao escritório (as 8h00), e pelo menos 1 hora para voltar (as 18h00).

Outro problema que encontrei naquela região são os estacionamentos: Apenas alguns aceitam as motos, e esses cobram muito caro pelo pacote mensal. A minha sorte é que eu encontrei um “bolsão” de motos bem próximo ao edifício onde trabalho. É um espaço na rua próprio para as motos, onde posso parar sem pagar nada. Porém, na última sexta-feira, ao chegar na moto para ir embora, encontrei o retrovisor esquerdo dela quebrado e caído sobre o painel. Certamente algum outro motoqueiro estacionou ao lado da minha moto, e na hora de sair não tomou o devido cuidado. Se considerar que a moto fica na rua, sujeita a ser furtada, a solução não me parece das melhores. Conto apenas com a falta de interesse dos ladrões numa Suzuki Yes velha e feia em meio a tantas outras motos mais legais.

Bolsão de motos

Eu já fiz algumas experiências com horários e trajetos diferenciados, mas a mudança não é grande. No fim das contas, o que percebi é que o melhor é voltar pela Alameda Jaú até a Rua da Consolação, descer até a Av. Brasil, fazer o retorno na Henrique Schaumann e seguir na Rebouças até a Marginal Pinheiros. Voltar pela Paulista / Rebouças não é bom negócio pois o trânsito trava no túnel que liga as duas avenidas, e o trajeto Brigadeiro / Av. Brasil é simplesmente impraticável, pois as faixas são muito estreitas e não dá para andar entre os carros


Exibir mapa ampliado

No fim das contas, eu sei que chego muito antes de moto do que de carro. Se eu fosse trabalhar de carro todos os dias, eu levaria muito mais tempo e teria que pagar caro por uma vaga de estacionamento, então ainda compensa vir de moto.

Compartilhe!