Viagem de Foz do Iguaçu a Osasco

No Domingo bem cedo, carregamos a Moto com toda a bagagem (meu Deus, quanta bagagem!) e partimos rumo a nossa nova casa.

Nos primeiros 30 km sentimos o peso da bagagem e paramos para tentar ajeitar melhor. Eram os Alforges carregado, o Bauleto carregado, uma bolsa grande carregada presa em cima do bauleto e uma outra bolsa presa em cima da primeira. Passamos essa bolsa mais alta para em cima do tanque e prendemos também. Ficou melhor, mas ainda assim estava difícil pilotar com tanto peso. Para piorar, o vento estava forte e atrapalhou nos primeiros momentos da viagem.

Quando chegamos em Cascavel, tiramos a primeira média de consumo: 13 km por litro. Um absurdo! O normal é 20! Então paramos para tomar café da manhã e abastecer, daí seguimos viagem. O segundo trecho foi melhor, o vento parecia não atrapalhar mais e conseguimos ajeitar a bagagem de modo a não atrapalhar tanto. Seguimos viagem direto, parando a cada 100 km para descansar um pouco.

Paramos para almoçar em Londrina, e então a Luana resolveu pilotar a moto. Depois dos primeiros Km se adaptando ao peso da moto, seguimos bem até Cornélio Procópio, paramos para descansar novamente e seguimos viagem.

Quando chegamos em Ourinhos/SP, divisa com o Paraná, já eram 18h00. Ainda faltavam 380 km para chegar. Então paramos no Graal para jantar e descansar um pouco. Daí seguimos viagem.

Na próxima parada para abastecer, desliguei a moto e quando liguei novamente percebi que o motor estava fazendo um barulho diferente, muito estranho. Daí comecei a ver as possíveis causas e percebi que a moto estava quase sem óleo! Coloquei 1 litro de óleo e seguimos viagem com a moto neste estado mesmo.

Chegamos em casa meia noite. Apesar do problema da moto, ela não quebrou e não nos deixou na estrada. A viagem foi muito tranqüila, muito legal, mas tiramos poucas fotos pois a máquina não ajudou muito (veja no FlickR)

Compartilhe!