Dica de Passeio – Estação Jaguariúna

Ontem resolvemos sair em nosso primeiro passeio com a V-Strom, e o destino foi a cidade de Jaguariúna, próximo a Campinas, a 135 km de São Paulo.

A dica do foi do Marcos (@marcospbr), na segunda-feira a noite eu não sabia para onde ir no feriado, e soltei a pergunta no Twitter, e ele deu a dica. E hoje, apesar de ter convidado a todos, ninguém se interessou. Então fomos sozinhos mesmo.


Exibir mapa ampliado

Saímos de Osasco pela Rodovia Castelo Branco, logo entramos no Rodoanel e então na Rodovia dos Bandeirantes. No Km 72, paramos no Outlet Premium, ao lado do SerrAzul. É um grande espaço onde há muitas lojas de roupas de grife, com preços bem abaixo do normal. Vale a pena dar uma conferida se você gosta de roupas de marca. Eu particularmente não ligo pra isso, mas a Luana gosta, e agradeci a Deus ter deixado meus cartões em casa! Hehehe

Rodoanel


Saindo de lá, fomos direto para Campinas. Cortamos a cidade pela avenida principal, até alcançar a Rodovia Dom Pedro I, que dá acesso a Rodovia SP-340, que por sua vez, dá acesso a cidade de Jaguariúna. A dica que dou é que na SP-340, evite correr, pois a via tem muitos radares.

Em Jaguariúna, já é possível perceber o visual diferente da cidade. Não é preciso andar muito para chegar a estação-museu de Jaguariúna. Trata-se de um museu ferroviário, montado em uma antiga estação ferroviária, que ainda funciona! O trem a vapor (!) tem horários regulares para Campinas.

Estação Jaguariúna


Mas o que nos atraiu até a cidade foi mesmo o restaurante que fica na estação de Jaguariúna, o Botequim da Estação, e sua famosa Picanha na Pedra.

Botequim da Estação


O atendimento é bom, e o ambiente muito tranqüilo, ótimo para relaxar enquanto se espera pela comida. Pois depois que ela chega, o resto simplesmente desaparece.

Podemos dizer com convicção que é a melhor e mais saborosa picanha que já comemos na vida. Feita com um molho de alho, ela chega a mesa ainda em preparo, graças a pedra quente onde ela é servida. Acompanha a picanha uma farofa, arroz, e um feijão com bacon igualmente gostoso, e a salada que chega antes dos pratos quentes. As fritas nós pedimos a parte.

Picanha na pedra


Eita!


Preço total da refeição: R$ 66,69 já incluindo bebidas e taxa de serviço. Barato, considerando a qualidade da comida.

Na saída, vimos a trem chegando e trazendo alguns passageiros. Essa maria fumaça é um espetáculo a parte. É muito legal de ver uma máquina tão antiga ainda em pleno funcionamento.

Maria Fumaça


Na volta, passamos no Graal da rodovia dos Bandeirantes para tomar um café e esticar as pernas.

Passeio curto. Pra quem quer passear e não quer ir muito longe, são menos de 300 km rodados na ida e volta para saborear uma excelente comida e curtir as excelentes estradas e paisagens do interior de São Paulo. Vale a pena!

Compartilhe!