Nova moto na família: Suzuki DL650 V-Strom!

Eu já estava namorando esta Moto a muito tempo, mas por causa do preço dela e do preço do seguro, nunca tive coragem de comprar. Além disso, tinha dúvidas se outra moto me faria mais feliz do que ela.

Só faltava experimentar a Versys da Kawasaki, e no Salão da Motocicleta, não tive dúvidas: É a V-Strom mesmo que eu quero! Só faltava constatar de que a V-Strom é mesmo o meu número. E então já tinha decidido qual a moto eu iria comprar, mas ainda não tinha decidido quando.

Eu na Versys

Até que um leitor do blog, o elias (com “e” minúsculo), um cara chato que sempre deixa comentários ácidos e na maioria das vezes eu modero, escreveu o seguinte: “Achei que vc tinha uma Yes! Tá reclamando do quê da Versys!!!!!

Isso foi a gota d’água. Tudo bem que ele é chato e não dou crédito para o que ele fala. Pois afinal, não é porque eu ando de Yes, que não consigo avaliar se determinada moto fica boa ou não para mim. Não é por isso que eu devo comprar qualquer moto, que já estarei no lucro. Talvez ele seja mais afortunado que eu (não creio), mas quando eu planejo comprar um bem, seja uma Yes, uma Lead, um Imóvel ou uma moto de mais de R$ 30 mil, eu pesquiso muito para ter certeza de que vou fazer o melhor negócio possível usando a menor quantidade de dinheiro possível.

O comentário do elias nada mais é do que a síntese do motoqueiro. O mesmo preconceito que sofro quando vou nos lugares com minha Yes, e que não sofria antes quando ia de Falcon. Estranho é ter de ouvir isso de outra pessoa que gosta de Motos.

Mas de uma forma ou de outra, o comentário do elias serviu para abrir meus olhos para a realidade. Dia 14 de Novembro de 2008 furtaram a nossa moto, e desde então, a vida está passando e nós estamos passando os finais de semana em casa. Já são quase 2 anos nessa vida chata.

Então tomei coragem e fui a concessionária ver a moto. Quando cheguei lá, a vendedora fez aquela pressão de sempre: “Essa é a última, nem na fábrica tem”, “Recebi uma nova tabela ontem, a taxa de juros está mais baixa”, e por ai vai. Mas desta vez eu já cheguei decidido a fechar negócio, e assim fiz. A V-Strom 650 2011 Laranja é a mais nova moto da família!

E é claro que a moto tem seguro desta vez. Consegui um preço excelente, e isso era o que faltava para ter a moto dos nossos sonhos.

Agora já vamos poder voltar a viajar, a passear nos fins de semana, rever os amigos e ter muitas histórias para contar aqui no Blog!

Luana na V-Strom

Eu estava decidindo entre 5 motos: As Suzuki V-Strom 650, a Bandit 650S, a GSX 650F, a Kawasaki Versys 650 e a Yamaha XT660R. Coloquei estas motos na balança, decidindo prós e contras.

A XT 660 R eu descartei logo de inicio: Esse preço absurdo que estão cobrando, ninguém merece. A moto não vale R$ 27 mil, vale no máximo R$ 24 mil. Por 27, compro a Bandit N650, ou a ER-6n, ou a Comet 650. Tudo bem que são motos completamente diferentes, mas nada justifica uma monocilindrica custar mais do que uma 4 cilindros, e também tem a questão da moto não ser muito confortável para o garupa, o que dificultaria muito a vida da Luana em longas viagens.

A Bandit 650 S até poderia ter sido… Eu não fico tão gigante nela, e o desempenho do motor é cativante. Mas no fim, depois de testar a V-Strom 650 pessoalmente, vi que a diferença no desempenho não é tão grande assim. A V-Strom chega nos 200 km/h, e a Bandit dificilmente passa os 220 km/h. Além disso, não pretendo andar nessa velocidade o tempo todo. O consumo de combustível, que reflete diretamente na autonomia, também me fez pensar em descartar a Bandit.

A GSX-650F também poderia ter sido. Acho ela mais legal que a Bandit, mas o desempenho é bem similar. A diferença só aparece mesmo depois dos 200 km/h, quando a carenagem dá vantagem a 650F.

A Versys foi a última que eu eliminei, após ter ido ao Salão da Motocicleta e constatado que ela fica pequena para mim. O conjunto parece legal, mas se fosse um pouco maior, seria uma forte candidata.

Já a V-Strom, mesmo sendo a mais cara entre as 5, se mostrou ter o melhor conjunto. O tanque de 22 litros aliado a economia do motor V2 de 650cc faz a autonomia disparar para quase 500 km por tanque. Além disso, o motor é capaz de levar a moto a 200 km/h caso seja necessário, o que pra mim é legal, pois gosto de correr. A posição de pilotagem, os pneus mistos, o curso maior da suspensão e a proteção aerodinâmica fizeram a diferença na decisão (além é claro, o preço do seguro). E querendo ou não, de todas, a V-Strom é a única que é realmente do meu tamanho.

Se a concessionária não atrasar a entrega, pego a moto na semana que vem (já emplacada, claro). E é claro, postarei MUITO sobre ela aqui no Blog.

ADENDO: Só para fins de comparação, vou deixar registrado aqui algumas fotos de eu em cima de algumas das motos mais desejadas por muitos. Veja como é complicado para pessoas do meu tamanho se acertar com uma moto.

Eu na Twister

Essa foi a minha primeira moto Zero. Em 2003, não tinha Fazer, nem Comet… 250 Street, só a Twister. A TDM225 conseguia ser ainda menor que essa, e a Tornado não me agradava muito. Veja o tamanho da criança.

Eu e a Luana na Falcon

Essa é a Falcon que foi roubada. Ela até que era legal para o meu tamanho, mas como pode ver, faltava ainda um pouco de motor para encarar nossas viagens. Além disso, faltava espaço para transportar nossa bagagem.

Eu de Hornet

Essa foto foi feita em um passeio no começo deste ano. A Hornet era emprestada, e dá para ver ai que, apesar de ter muito motor, falta “estrutura”. hehehe

Eu na GSX-R 1000 2008

Já na GSX-R 1000, não fico TÃO grande assim… Mas acredite, uma Hayabusa fica bem melhor. hehehe

Eu na Yes

E essa é a minha Yeszinha. Fico realmente gigante em cima da moto… Se eu tivesse pensado um pouco, teria comprado uma XTZ 125… Pensando bem, mesmo a XTZ é pequena. Não existia em 2008 opção de moto de baixa cilindrada para o meu tamanho. Hoje tem a Bros, que está um pouco maior que os modelos anteriores… Mas sei lá.

Eu na Lead

E essa é a Lead da Luana… Bizarro!

Eu na Comet 650

Eu sempre achei a Comet 650 muito legal. Já andei em uma inclusive, anda muito bem! Mas depois que vi essa foto, brochei totalmente. Não tem jeito, esportiva não é pra mim.

Eu na GSX-R 750

Mais uma prova de que as esportivas não gostam de mim.

Eu na V-Strom 650

E finalmente, este sou eu na V-Strom. Essa foto foi tirada em 2008 no salão da Motocicleta, quando a DL 650 foi apresentada. Foi paixão a primeira vista!

Compartilhe!