GravatarMotos Blog » Destaques, Preparação, Testes

Resultados do Fuel Controller Servitec na Lead


Por 50 dias, testei o Fuel Controller da Servitec na minha Lead 110, nas mais variadas situações, e hoje vou contar os resultados.

Eu uso a Lead diariamente, em trajetos quase sempre urbanos. Apesar disso, vez ou outra eu preciso pegar um trecho de 10 km de rodovia, e nesta situação o limite de 85 km/h original da Lead é deprimente. E este limite foi a maior motivação em procurar a Servitec para testar o Fuel Controller.

Fuel Controller Servitec na Lead

Fuel Controller Servitec na Lead

Instalamos o Fuel Controller com o objetivo principal de aumentar o limite de RPM do motor, e por consequência, aumentar a velocidade máxima da Moto. Mas ele faz muito mais que isso. Ele permite ajustar a alimentação da moto, enriquecendo ou empobrecendo a mistura de combustível em várias situações diferentes. Além disso, permite ajustar o ponto de ignição. Eu confesso que não alterei o ponto da Lead, pois essa alteração faz mais sentido quando o motor é preparado “mesmo”, com cabeçote rebaixado ou aumento de cilindrada. Como eu não fiz nada disso, não ví necessidade em usar esse recurso. Mas fiz uso intenso do limitador de RPM e dos ajustes de combustível.

Antes do Servitec, a Lead tinha as seguintes características:

  • Velocidade Máxima: 85 km/h
  • Consumo médio: 32,1 km/l
  • Corte de RPM: 9000 RPM
  • 0-60 km/h: 5,2 segundos
  • 0-80 km/h: 10,2 segundos

Ajuste para Desempenho

Na primeira semana, nosso objetivo foi atingir o melhor desempenho possível, sem pensar muito na economia de combustível. O objetivo era realmente correr mais. Então, fizemos o seguinte ajuste.

TPS>BAIX MEDI ALTA A
BAI -10% +01% +08% L
MED -05% +05% +11% T
ALT -05% +08% +12% E
SAIR Limite:Alterado
Ori:9.000Novo:10.500
5%    5.0|100%>  9.6
CompRPM|>>>    | 94%
0:9.000N:10.500 SAIR
5%:5.0ms  100%:9.6ms
CompRPM: 94% TPS: 3%
Inj: 3.1ms  1.200RPM

O que percebi é que eu perdi uns 20 kg. Sério! A impressão é que, ou eu fiquei mais leve, ou aumentou a cilindrada. A moto ficou muito mais esperta em arrancadas e retomadas. Além disso, a tão sonhada velocidade final aumentada chegou. Eu defini o corte para 10500 RPM e isso foi suficiente para fazer a Scooter chegar a exatos 100 Km/h. Apesar disso, eu senti que esse limite é um pouco alto demais, e fiquei com receio de deixar ele por muito tempo. Logo baixei para 10100 RPM e a moto chegou a 95 km/h. O que mais me surpreendeu é que o consumo ficou ligeiramente melhor! Acho que é porque eu defini uma mistura mais pobre em baixa, e como eu ando mais na cidade do que na rodovia, isso se traduziu em economia.

Neste ajuste, os números foram:

  • Velocidade Máxima: 100 km/h
  • Consumo médio: 33,4 km/l
  • Corte de RPM: 10500 RPM
  • 0-60 km/h: 4,4 segundos
  • 0-80 km/h: 9,0 segundos

Ajuste para Economia

Na segunda semana, eu ajustei o limitador para o nível original, e tentei deixar a mistura mais original, empobrecendo em alta. O objetivo era economizar combustível e ver como a moto se comporta. O ajuste foi o seguinte

TPS>BAIX MEDI ALTA A
BAI -02% -02% -06% L
MED -02% -02% -06% T
ALT -02% -02% -02% E
SAIR Limite:Original
Ori:-.—Novo:–.—
5%—–.-|100%>—.-
CompRPM|——-|—%

Eu sinceramente não senti muita diferença para o ajuste original. Percebi apenas que ela demora mais para chegar aos 85 km/h. O consumo dela ficou muito parecido com o original, e PIOR em relação ao ajuste mais performático.

Neste ajuste, os números foram:

  • Velocidade Máxima: 85 km/h
  • Consumo médio: 32,5 km/l
  • Corte de RPM: 9000 RPM
  • 0-60 km/h: 5,4 segundos
  • 0-80 km/h: 11,0 segundos

Ajuste para Mais Economia

Não muito satisfeita com os resultados, eu deixei a mistura ainda mais pobre, em todos os regimes, pois eu queria ver se a moto chegaria pelo menos ao patamar de 40 km por litro. O ajuste foi o seguinte.

TPS>BAIX MEDI ALTA A
BAI -08% -10% -12% L
MED -09% -12% -13% T
ALT -10% -12% -15% E
SAIR Limite:Original
Ori:-.—Novo:–.—
5%—–.-|100%>—.-
CompRPM|——-|—%

A moto perdeu desempenho, como esperado. Apesar de a velocidade máxima se manter a mesma, é bem mais difícil chegar nela. Em arrancadas e retomadas, o efeito foi o oposto do da primeira semana (me senti mais pesada). Além disso, percebi um pequeno aumento na temperatura do motor. Antes, o ponteiro de temperatura ficava pouco abaixo da metade, e agora, com o uso intenso, ele fica uma “marquinha” acima. Mas ainda está na faixa branca, e bem longe da faixa vermelha.

Neste ajuste, os números foram:

  • Velocidade Máxima: 85 km/h
  • Consumo médio: 37,5 km/l
  • Corte de RPM: 9000 RPM
  • 0-60 km/h: 5,8 segundos
  • 0-80 km/h: 11,9 segundos

Conclusão

O FC me permite ajustar a IE da moto da forma que eu quiser. Mas o ajuste original já está bem próximo do ideal. A maior vantagem foi mesmo o aumento do limite de RPM. Este aparelho certamente terá mais utilidade em preparações mais elaboradas, como aumento de cilindrada ou preparação de cabeçote. Eu acho que uma simples troca de filtro de ar e ponteira de escapamento já tornaria o FC mais útil, pois ao trocar estes itens o ajuste da alimentação é necessário. Como minha moto está completamente original, os ajustes não fizeram uma diferença tão expressiva. Mas de qualquer forma, eu vou deixar ele ajustado como na primeira semana (maior desempenho), com limite 10100 RPM. Para mim, foi o melhor acerto.

O Daniel instalou um destes em uma Lander completamente modificada, preparada na Moremoto. A moto tinha filtro de ar K&N, ponteira de escapamento esportiva, motor aumentado para 300cc e preparação de cabeçote. Nesta moto, o ganho de desempenho foi assombroso. Antes do FC, a preparação simplesmente não fazia efeito, e a moto parecia andar menos que a original. Foi só instalar e fazer todos os ajustes para liberar todo o potencial da moto. Segundo o proprietário, o ganho foi enorme.

Até mais!

Compartilhe este texto!


Digite o seu nome e e-mail abaixo e saiba quando o Motos Blog é atualizado! Receba as últimas notícias diretamente no seu e-mail! É GRÁTIS!

Seu nome
Seu E-mail