Expedição ao Atacama de YBR 125 e CG 150

Nosso amigo Douglas, de São Bento do Sul/SC, partiu o ano passado em uma viagem bem diferente! Foi para o Chile! E mais: de YBR! Ele contou como foi a aventura, acompanhe abaixo:

Douglas, Luana e Daniel



Saímos dia 16 de fevereiro de São bento do sul, o destino era São bento do sul mesmo, mas 9000km depois. Nosso trajeto inicial seria sair do Brasil pela cidade de Barracão PR, contornar o Paraguai pela argentina passando por Posadas, Corrientes e Resistência. Logo depois atravessar o deserto do atacama rumo ao Chile, chegar ao litoral Chileno, descer até Vina Del mar e retornar ao Brasil passando por Mendoza, Córdoba e Uruguaiana. Tudo planejado, meses de pesquisas e mais tempo de economias!

A documentação necessária seria carteira de identidade atual, carteira de motorista nacional e internacional, Chegando a Barracão soube que Moto também precisaria de carta verde, por sorte tinha uma “filial” da liberty seguros ao lado da Aduana, em 30 minutos estávamos habilitados a entrar na argentina, o gasto com o seguro foi de R$20,00. A partir deste instante era possível jogar todos os documentos e o Capacete no lixo, na argentina a única coisa necessária para circular são alguns pesos na carteira para dar propina aos guardinhas :)

Dormimos acampado no primeiro dia, uns 100km adentro da argentina.

O segundo dia foi sem muitas novidades, andamos 710km no primeiro dia e 750 no segundo, dormimos numa birosca de beira de estrada com uma placa escrita “hotel”, mas nem se comparava a algo assim hehehe o custo dessa estadia foi $40,00 para um quartinho com duas coisas que foram camas um dia.
Em geral os custos na Argentinas, convertidos para o nosso Real, são inferiores aos do Brasil.

O Terceiro dia foi marcada por uma incrível e longa reta! Estava muito quente, quando chovia gritávamos de felicidade!

Ao fim do dia ficamos acampados numa válvula de gasoduto (ah, só vimos que era um gasoduto no outro dia pela manhã), fizemos uma janta no fogareiro e desmaiamos na barraca!

No quarto dia a viagem começou realmente, chegamos a Salta ao meio dia e fomos procurar um hotel, em Salta tem hotéis luxuosos de $250,00 até hotéis mais modestos por $50,00. Ficamos num hotel chamado “El pasaje” na Avenida Entre Rios. Recomendo este hotel a todos que passarem por salta, tem garagem coberta e fechada, quartos limpos, banheiro no quarto e café da manhã, o hotel é um poço de cultura, por todos os lugares há pinturas e capas de discos pelas paredes! Em geral toda a região norte da Argentina tem um povo que aprecia a arte, o tratamento aos visitantes é muito bom também. Depois de nos hospedarmos tiramos o dia para conhecer a cidade, tem muitos atrativos, vale a pena andar no teleférico, da uma visão ampla da cidade.

No dia começamos o trecho mais belo da viajem, saímos de Salta e fomos até Cafayate, 100km ao sul de Salta, a estrada é ótima, com lindas paisagens e surpresas a cada curva! Almoçamos em cafayate no “comedor El criolo” e saímos rumo a Cachi, 150km de estrada de chão! Neste trecho tive as melhores visões da viajem. Acampamos ainda neste trecho entre algumas montanhas. No outro dia saímos de Cachi e fomos até San Antonio de Los cobres, agora por um caminho asfaltado que passava por dentro de uma reserva nacional, muita montanhas, chegamos a 4000 metros de altitude, nos hospedamos nas alturas e no dia seguite seguimos para mais ao norte da Argentina, dormimos em Humuahaca, cidade que o povo foi tombado como patrimônio histórico da humanidade. Neste dia conhecemos um Casal de MS que nos acompanharam até o Chile, Marcio e Lucy, estavam numa falcon indo para o Peru.

No outro dia foi a passagem de Paso de Jama, Atacama em si! Altitude máxima 4870m. A moto que antes fazia de 40 a 45 km/l passou a fazer 27km/l, a rotação do motor precisava estar sempre em alta senão afogava. Na minha reduzi o giclê e tirei a tampa do filtro de ar, na CG reduzi o giclê somente!
Chegamos ao Chile já a noite, quando estávamos a pouco mais de 4000 metros entardecendo o vento era muito forte e a sensação térmica muito baixa, eu tremia de frio com três jaquetas.

No Chile, em San Pedro do Atacama contratamos uma agencia de turismo no dia seguinte, visitamos um salar e a Laguna Seca, um poço de água que devido a salobridade o corpo não afunda! Eu não sei nadar mas atravessei ela nadando hehehe

Dia 26 de Dezembro chega ao fim nossa investida ao oeste do continente, meu colega de viagem já não agüentava mais de saudades da família e como uma “equipe” unida voltamos juntos a São bento do sul pelo mesmo caminho que viemos.

Da volta do Chile até nossa cidade deu aproximadamente 2600km, fizemos em 4 dias, no ultimo dia andamos 890km. Ao total a viagem durou 13 dias e 6400km.
Por fim digo que a maior limitação das pessoas é a força de vontade. Qualquer moto te leva a qualquer lugar, é tudo questão de tempo, dinheiro e respeito aos seus limites e da moto.

Hoje, analisando, não me parece uma utopia nem uma viagem de extremo risco, planejo pro futuro viagens bem mais longas, que isso fique de aviso pra quem está começando: Motoaventura VICIA! A estrada é uma prisão.

Compartilhe!