A popularização das motos e suas conseqüências


Até o final de 2007, serão produzidas mais de 1.7 milhões de Motos no Brasil, sendo 1.5 milhões para o mercado Interno, segundo a ABRACICLO (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), isso é um aumento de 21% em relação ao ano passado. As motos finalmente estão se tornando muito populares, graças as novas tecnologias, ao preço em relação aos carros e ao trânsito caótico dos grandes centros urbanos. Mas todas estas motos na rua estão causando problemas que até então não eram levados tão a sério.

Toda esta quantidade de motos nas ruas tem causado um grande aumento no número de acidentes envolvendo motos. Os mais jovens e de motos menores são os principais envolvidos em acidentes. A mídia, mais do que nunca, tem noticiado os acidentes envolvendo motos e apelado para a emoção das pessoas, fazendo com que elas pensem melhor antes de decidir por comprar uma Moto e usa-la para o transporte pessoal.

Ontem vi uma reportagem do Jornal Nacional, da Globo (link) que mostra um assalto a um posto de gasolina feito por um grupo de 50 motos. Hoje, vi uma reportagem da TV de Santa Catarina, sobre um acidente de um rapaz de 19 anos em um túnel em Florianópolis (link). E todos os dias vemos reportagens sobre algum motoboy que morreu nas Marginais em São Paulo, ou em algum noticiário local sobre alguém que morreu em Serra Negra, Morungaba ou outras cidadezinhas do Interior de São Paulo.

Em comum, todas estas fatalidades têm uma coisa: A falta de prudência. Não estou tentando culpar as pessoas que tragicamente morrem, mas acredito que é meu papel tentar conscientizar os meus visitantes, afinal, alguns poucos estão conseguindo criar uma imagem negativa sobre os Motociclistas e as motos.

As motos devem ser respeitadas. Elas aceleram rápido, mas não freiam tão rápido, nem são tão ágeis em curvas ou mudanças de direção. A pilotagem deve ser consciente, respeitando os limites de velocidade e as leis de transito vigentes.

A maioria das mortes acontece porque o piloto estava cometendo pelo menos uma falta… Na maioria das vezes, está muito acima da velocidade permitida e sem os equipamentos de proteção necessários. É muito comum ver também o piloto conduzindo sua moto em uma posição completamente incorreta, como por exemplo, em pé em cima da moto ou deitado sobre o banco (super-homem). É claro que este absurdo não pode acabar bem. Muitas vezes, a moto também não apresenta condições ideais, mas acredite – esta não é a maior causa de acidentes… Normalmente o piloto é o principal responsável.

A grande maioria das mortes podem ser evitadas apenas respeitando o limite de velocidade e usando equipamentos corretos. Há quem diga que as motos não perdoam… mas eu digo: Quem não perdoa é a estupidez.

Compartilhe!