Power Commander

Hoje vou falar um pouco sobre a moda entre os superbikers, o Power Commander. Afinal, vale a pena investir num aparelho destes?

Power Commander



O Power Commander é um módulo de auxílio a Injeção Eletrônica da Moto. É uma pequena caixinha com alguns fios e conectores, e quando instalado na moto, integra-se ao seu sistema eletrônico e permite ajustes no mapeamento da mistura de combustível e de ignição (usando o Ignition Module).

A grande verdade é que é um equipamento usado principalmente em ambiente de competição, e serve basicamente para permitir o acerto da mistura de forma absolutamente detalhada e, o mais importante, MANUALMENTE.

Ignition Module

A injeção eletrônica das Motos já vem de fábrica pré-programada para o melhor desempenho possível, porém, dentro do limite de venda, ou seja: A moto não pode poluir muito, nem consumir muito combustível, nem fazer muito barulho. A própria ponteira de escape já vem com catalizadores e abafadores para manter a moto dentro dos padrões da Euro3 (ou Promot3 no caso do Brasil). Este acerto “restritivo” acaba por subutilizar o potencial do motor, e ele não rende tudo o que poderia.

Muita gente troca o filtro de ar e a ponteira de escape esperando que, além de um barulho mais nervoso, a moto fique um pouco mais rápida, mas a verdade é que se um ajuste na injeção eletrônica para os novos acessórios não for feito, o ganho será muito pequeno.

O Power Commander vem para resolver esse problema. Ele possui conectores que são ligados aos bicos injetores, e os conectores originais da moto são ligados ao Power Commander, então, cada comando ao bico injetor passa antes pela central, que reprocessa o comando de acordo com o mapa pré-cadastrado, e então envia ao bico injetor o tempo correto de abertura de combustível.

Power Commander Instalado

Porém, apenas instalar o Power Commander na moto não serve para nada. Pois ele vem de fábrica com o mapa “zero”, que não faz nada além de repassar integralmente o mapeamento original da moto, ou seja, andar assim é como andar original. Para valer a pena, é preciso conecta-lo ao computador e fazer pelo menos um mapa para ele.

Se você não conhece muito sobre esse tipo de acerto, pode encontrar na Internet diversos mapas prontos para Download, um para cada configuração de moto. Por exemplo, para a CBR1000RR 2008, existem mapas para a moto com Filtro de ar e escapamento originais, Filtro K&N e Ponteira Two Brothers, Filtro K&N e ponteira Yoshimura, e mais outras 50 configurações. Certamente uma delas vai ser bem próxima a sua configuração, e caso não seja, você pode pegar um modelo e adaptar a suas necessidades.

O software usado para criar os mapas é bem simples de usar e se parece muito com o Excel. Há uma planilha onde você tem o RPM e o TPS (posição do acelerador), e neste cruzamento existe uma celula onde você pode digitar um número entro -99 e 99, e este número representa o quão pobre ou rica você quer a mistura em relação ao mapa original. Se você colocar 10, ficará 10% mais rica, e -10, 10% mais pobre.

Fazer um mapa detalhado pode dar trabalho, pois você terá de testar a moto em cada uma destas situações, mas uma vez pronto, você terá certeza de que a moto está tendo o rendimento que você quer.

O Power commander possui 2 modos de operação, o básico e o avançado. No básico, você define um mapa, depois pode enriquecer ou empobrecer o mapa inteiro usando os botões no próprio aparelho. Já no modo avançado, você pode criar até 9 mapas diferentes, e com os botões no aparelho, pode trocar os mapas na rua, sem a necessidade de um computador. Além disso, no modo avançado, você pode criar um mapa para cada cilindro, caso queira.

O Power commander não serve apenas para fazer o motor ter mais desempenho, você pode criar um mapa mais “econômico” e empobrecer a mistura de modo a economizar combustível, ou ainda, criar um mapa que seja economico quando o acelerador não está muito aberto, e “gastão” quando está. Fica a seu critério!

Eu já instalei alguns Power Commander para o meu pai em sua oficina, a Moremoto. Hoje ele mesmo instala e configura, fazendo o acerto do jeito que o cliente quer. O retorno que ele tem tido dos clientes é muito positivo, em geral, todos gostam e sentem bastante diferença.

O Power Commander pode ser facilmente encontrado no mercado, custa em torno de R$ 1100,00. Vale a pena para quem gosta de correr e de tirar o máximo proveito da moto e dos acessórios que tem.

E ai? Já conhecia o Power Commander? Tem na sua moto? Acha que valeu a pena instalar?

Compartilhe!