Viajar com a Suzuki Yes? Sim!

Pois é pessoal. Roubaram a nossa Falcon, mas não o nosso espírito de aventura.
Estamos planejando viajar de São Paulo/SP a Foz do Iguaçu/PR com a nossa Suzuki Yes 125. Depois de alguns meses de uso e quase 8 mil km rodados, chegamos a conclusão de que a Moto é confiável e vai encarar a viagem de 2200 km sem problemas.

Suzuki Yes 125 2008 Prata



Estamos planejando viajar no feriadão de Carnaval. A viagem tem 1100 km de ida e 1100 de volta. E a estratégia a ser adotada será a mesma que tinha-mos quando viajava-mos de Falcon, só que com (bem) menos pressa.

Vamos sair de São Paulo as 16h00. Se conseguirmos manter a excelente média de 90 km/h (acredite, esta é uma média ambiciosa até para as Motos maiores), chegaremos em Londrina/PR por volta das 23h00. Lá, vamos nos hospedar e dormir até as 4h00, e então partir novamente, chegando em Foz perto das 14h00.

O que vai nos ajudar a manter esta média é a autonomia da moto, que é de 400 km com um tanque. Se conseguirmos ficar todo deste tempo em cima da moto, sem interrupções, a viagem tem tudo para ser tão rápida quanto era com a Falcon, que tinha uma autonomia de apenas 210 km por tanque (sim, ela gastava mais do que o normal). Se não der, não tem problema, vamos na velocidade que a moto (e nós mesmos) suportar, sem pressa.

Além disso, vamos levar muito pouca bagagem, tanto na ida quanto na volta, o que certamente vai contribuir para melhorar um pouco o desempenho da moto.

Quanto aos cuidados, só o básico mesmo: Trocar o óleo, calibrar os pneus, ajustar e lubrificar a relação… essas coisas.

Segundo meus cálculos, o custo da viagem (se não acontecer nada anormal) será de menos de 300 reais. Nunca viajei gastando tão pouco! Não que eu não possa pagar por uma viagem de ônibus, mas a verdade é que eu sempre tive vontade de saber como é viajar com esse tipo de moto em distâncias tão grandes. Além disso, como não pretendo comprar outra moto antes de mudar de casa, vou ter que me virar com esta moto mesmo, inclusive para passear.

E ai? O que vocês acham? Dá pra encarar a viagem numa boa? Opine!

Compartilhe!