Porquê NÃO ter uma Honda Lead

Há muito tempo estive querendo escrever este post, mas por causa do que aconteceu no final do ano passado, ficaria parecendo pura e simples perseguição, e esta não é a postura que gostamos de adotar por aqui. Mas acho que temos credibilidade suficiente para que as pessoas acreditem que não se trata de perseguição, mas sim de uma análise mais profunda de um produto, já que agora faz quase 3 anos que tenho a moto e sei bem o que ela é ou não é.

Quando decidimos comprar uma moto, em 2010, fizemos sem pensar muito. Eu havia acabado de sofrer um dia de cão com o transporte público e qualquer moto é melhor do que um ônibus lotado em dia quente. Naquela época não podíamos gastar muito dinheiro, mas eu não queria uma moto “tipo CG”, e a Biz também não era uma opção que eu considerava. Me restou a Lead, que a princípio era uma excelente moto. Automática, injetada, bastante espaço interno… Parecia perfeita. E por um tempo foi mesmo perfeita, enquanto eu usava para ir a academia, supermercado e outros lugares próximos, a moto atendia bem. Até o dia em que eu precisei começar a usa-la para ir trabalhar.

Ergonomia

No ano passado, comecei a trabalhar no bairro da Saúde, na zona sul de São Paulo (20km da minha casa). Ironicamente, foi quando a minha saúde começou a ir para o espaço. Nunca tive problemas de coluna, e comecei a ter depois que passei a fazer esse trajeto mais longo com a Lead. As dores foram aumentando até se tornarem insuportáveis, então fui ao médico (que por coincidência também é motociclista), e ele foi enfático: “O problema é a Scooter. Troque por uma moto com suspensão melhor e seu problema acaba”. A explicação é a suspensão de curso pequeno e a posição de pilotagem, sentado, com o peso completamente apoiado na coluna.

A explicação dele faz sentido, pois realmente, o que a Lead mais faz é pular. Qualquer ondulação no asfalto, qualquer buraco, valeta, lombada, até mesmo guia rebaixada, é uma martelada direta na minha coluna. Parei de usar a moto por um mês e as dores foram embora. Porém, eu preciso da moto para ir trabalhar, não posso depender de carona sempre, então fiquei em uma situação difícil.

Segurança

Outra coisa que me irrita muito é que tenho a impressão que a moto é tão pequena que os motoristas dos carros simplesmente não me enxergam. Nos últimos 3 meses dois carros bateram atrás da minha moto, e ambos falaram que não conseguiram ver a moto. Parece que essa “coisinha” é tão pequena que passa despercebida para quem dirige carros. Nas duas batidas eu me machuquei mas não cai da moto, na primeira vez fui arremessada para longe e fiquei com dor nas costas por dias, e na segunda vez fiz a besteira de colocar o pé no chão para evitar uma queda, e com isso machuquei o joelho, ambas as vezes vinham carros na outra direção e por sorte eu não sofri uma segunda batida. Estranhamente, nestes dois acidentes a moto não sofreu absolutamente nenhum dano.

Sofri um terceiro acidente também, no final de Janeiro. Eu estava indo trabalhar e dando carona para minha irmã. Estava começando a chover, e antes de passar em uma lombada eu usei os freios, com o cuidado que se deve ter nestas situações de piso escorregadio… Mas o cuidado não foi suficiente, e quando vi, já estava rodopiando pelo chão.

Freios combinados da Lead

Eu não estava rápida e nem me precipitei em usar os freios demais. A conclusão que cheguei é que o maior responsável foi a porcaria do freio combinado. Ao acionar o freio traseiro, o dianteiro também se aciona sozinho, e isso foi o que me derrubou, pois a roda dianteira travou e a moto simplesmente sumiu de baixo de mim. Neste, tive algumas carenagens raladas, mas a moto continua inteira, funcionando e 100% alinhada. Machuquei os pulsos (doem um pouco até hoje) e fiquei 3 dias afastada do trabalho, além de estragar a jaqueta.

Motor e assistência técnica

E por último, tenho dois problemas com o motor. Um deles é minha culpa: Eu escolhi ele – Simples assim. O motor é fraco, e eu é que fui ingênua ao achar que um motor de 110 cc iria me atender. A moto não permite que eu sequer rode na Marginal Pinheiros na velocidade limite, que é de 90 km/h. A velocidade máxima da Lead é de 80 km/h, parece suficiente, mas não é quando todos estão mais rápidos que você.

O segundo problema é um defeito crônico, diria até que é um problema de engenharia. O eixo do motor possui um retentor de borracha que, com 5000 km, apresentou um defeito e começou a vazar óleo para dentro da caixa da correia. Mandei substituir (em garantia) mas após 5000 km novamente, o mesmo retentor deu problema. Após a segunda troca, novamente o mesmo problema, e agora a moto já não está mais na garantia. Os “mecânicos” da concessionária dizem que há outro retentor interno, e TALVEZ este seja o problema… Mas para saber, só abrindo o motor, ao custo de 15% do valor da moto (R$ 600,00), o retentor custa R$ 6,00 (seis reais). Claro que a moto está vazando óleo até hoje, com 25 mil km rodados.

Troca de óleo da Lead

Essa foto ai de cima foi a “troca” de óleo… Era para ter saído 900 ml de óleo nesta bandeja. Se saiu 100 ml, foi muito. Por pouco não fundi o motor.

Outra piada da concessionária daqui: Pastilha de freio original da Lead: R$ 239,00. Para se ter uma ideia, as originais da V-Strom, na concessionária, custam R$ 120,00, metade do preço dessas da Lead. É claro que estão malucos! Eu disse: “Eu perguntei o preço das pastilhas da Lead, não do par das pastilhas de Hornet”. Já comprei as paralelas (Fisher por R$ 12,00) e o Daniel já instalou para mim.

As carenagens raladas só são vendidas num kit com todas. Eu só ralei a peça menor da lateral esquerda, mas vou ter que comprar as 4 peças que compõe o kit lateral (de ambos os lados) por R$ 189,00, e o paralama dianteiro, mais R$ 189,00.

Carenagens da Lead

Conclusão

Essa moto tirou a minha vontade de andar de moto. Ela é fraca, é desengonçada, acaba com a minha saúde e ainda me coloca em risco. Eu estou acabando de pagar o financiamento dela e assim que terminar, vou vender e comprar uma moto de verdade. Ultimamente não tenho mais usado ela, e estou indo trabalhar de carona com o Daniel. Simplesmente não me dá mais vontade de usar essa moto.

Escolhi por impulso quando fui comprar, esquecendo que a vida muda e que nunca sabemos o que o amanhã nos reserva. Comprei a moto achando que ela me atenderia em qualquer situação, mas hoje vejo que ela só serve para andar dentro do condomínio.

Veja também

Compartilhe!

114 comentários

  • Eduardo

    Ola Luana, espero que seu relato ajude a outras pessoas não caírem nesta roubada, já tive está moto e também não recomendo. mas vão aparecer defensores da Chonga, atualmente tenho minha burgman 400 que tem me servido.

  • alemao

    olha só luana,,tenho duas soluçoes pra vc,..primeira:leve a moto em algum lugar que trabalhe com massa plastica e mande fazer a lateral ralada,,vai ficar igual nova se for bem feito,,ou melhor ,pede pro Daniel mesmo comprar massa plastica e fazer,é facilimo,,depois é só pintar e ja era..
    segundo:vende essa carniça,kkk,e fuja dessa marquinha da asinha de frango!só querem dar facadas nos preços das peças e mao de obra..parta pra suzuki ou yamaha,que te garanto que se tiver problemas,serao problemas tranquilos,e nao esses vasamentos cronicos,tipicos de CG velha e afins..espero que meu coment seja util.. abraços pra vc e pro Daniel!!

  • flavio

    a titan mix 2013 tambem e pessima de amortecedor duro de mais a Bomba deveria ver esses detales nas suas motos

  • Fernando

    mude para as motos trail… agilidade, versatilidade, suspensão de curso maior, e posição de pilotagem excelente… iniciei na xtz 125 da yamaha, moto robusta,manutenção barata e extremamente fácil de guiar… nunca tive sustos por não ser visto pelos outros motoristas… Abraços e bons ventos

    • Daniel Ribeiro

      Eu tentei convencer ela a pegar uma Tenere 250, mas ela acha muito alta. Provavelmente ela vai de Fazer 250.

      • Andre Dias

        Insiste na Tenerezinha….

        • Ulysses

          Bomba Vazando oleo??? Conta outra que essa é velha hahah!
          Fazer ou Teneré 250 , na verdade são “as mesmas” motos né! Mudando apenas a suspensão e relação.
          A Teneré é mais “trator”, relação mais curta, dando mais torque. É bem melhor para a cidade (pois passa acima dos retrovisores) e muito mais confortavel para encarar os buracos.
          A Fazer (tenho uma), tem uma pegada mais esportiva, deixa a Teneré para tras na estrada. Vcs mesmos fizeram o teste e sabem como ela é.
          Ou seja, só ver as qualidades que te atendem melhor e escolher.
          Esse motor da Yamaha, não tem pra ninguém!

      • Dionathan

        Tem kit para rebaixar ela em http://www.manivela.com.br/Produtos/detalhe/8
        ” baixar aproximadamente 40mm no banco da moto,”
        Tenho 1.70 e 90 kg a cotiada acroca assim dispensei o kit porem demora até se acostumar com a altura.

      • Edmar Araujo

        Luana/ Daniel Ribeiro

        Para “enfrentar” o trânsito caótico e buracos de São Paulo, a sugestão da Tenere 250 é uma boa opção, a suspensão a suporta bem A ergonimia é um dos diferenciais o banco é bem confortável, uma evolução do banco da Lander (XTZ) que para longas viagens é um martírio.

        Desejo boa sorte com a venda da moto e a futura conquista.

        Abraço!

      • Fernando

        Insiste na Tenerezinha…(2)

      • Anderson Cola

        Quando minha mãe inventou que queria comprar uma moto, fomos escolher uma, como ela é muito baixa não conseguiu andar de CG. Na época compramos uma Neo 2008 usada, por ser uma scoter mais baixa e automática. A suspensão dianteira é muito curta, mais ainda assim é a melhor entre as scoters pequenas. Gasta muito pneu, 6 ou 7 mil km no máximo dura o pneu traseiro, custa uns R$180,00 em media o paralelo. TB acho perigosa de guiar cai com ela de bobeira. Não tem muita estabilidade.
        O motor apesar de ser fraco (115cc e 8,3cv) da pra andar a 110km\h na rodovia. Embora eu não recomende. De noite nem pensar!

        A Fazer 250 é uma ótima moto mesmo! Tenho uma 2006 desde de 2008 ta com mais de 34.000km nunca deu nenhum problema serio, só revisão.

  • Dionathan

    Oi compartilho o mesmo sentimento que vc porem com um Yamaha NEO 115 2011. Dores nas costas muitas dores parecia um velho kkkkkkkkkk.
    Um belo dia um cara deu marcha ré e a scooter caiu caralho O.o 500 reais a carenagem nova com os adesivo(um deles R$16,50) tudo caro na mota e fora a desvalorização e o quase parto que foi vender o troço levou 6 meses mais 3 meses ia acabar saindo outra de brinde.
    Fiquei 6 meses com ela troquei por uma Ténéré 250 usada do meu Tio e foi a melhor coisa que já fiz tudo bem ela faz 22km/l torcendo a espia mas vale cada centavo gasto e acho peça fácil pois é uma Lander por baixo. Para ter ideia as minhas costa desincharam tanto que consegui até melhorar o rendimento na acemia.
    Scooter só na Europa pois lá pavimentação é quase um tapete. Aqui o negocio é moto trail e olha lá. kkkkkkkk

  • Edi Cavalcante

    Ja tive vontade de ter e na época fui pesquisa, nas ruas, emprego, facul a defendiam como o pessoal q paga 2.300,00 num smatphone da apple defende, ja entenderam como é né?
    Aí eu pensei pérai 6.600,00 numa moto com essa rodinha, lançaram umas moto ali altas por este preço. E fui tentar entender isso na comunidade do orkut da LEAD, hãn …
    O resumo que eu tirava de 15 linhas era … Bomba é Bomba, não quero saber do preço, é Bomba.

    Então bicho …

  • Andre Dias

    Luana,

    Já tive uma Lead.

    Gostava mto da moto, mas fiquei com ela só até os 9 mil km. Não peguei a parte ruim da manutenção. Não cheguei a trocar a partilha nem pneu. Só o óleo.

    De fato e uma moto que nas condições das ruas brasileiras serve apenas para viagens curtas (de casa para academia, trabalho se próximo ou até no mercado pelo bagageiro grande).

    Imagino que na Europa e Japao ela possa se sair melhor para a proposta dela, a qual faz parte o motor de baixa potência, rodas pequenas e suspensão curta. Não acho um produto ruim, mas não serve para nos.

    Agora acho ridículo e desrespeitosa a política comercial da montadora no pôs vendas. Preço de peças e como elas sao comercializadas…só isso e motivo para eu não comprar mais produtos da marca.

    Tenho uma Fazer 250. Gosto mto do produto, e do maior respeito que a Yamaha trata seus Clientes no pos venda. Minha próxima moto (fora uma na faixa das 600 para role) para uso para transporte ao trabalho será uma Tenerezinha. Só ela para não arrebentar a coluna.

    Abs

  • Andre Dias

    Ah, o freio combinado não e nada honesto…..quase fui para o chão tb por conta dele….

  • Mauricio

    Bomba indo de mal a pior.
    Tinha uma Xis ÉrreE 300a nunca me arrependi tanto de comprar algo na minha vida!
    Vendi ela e comprei uma Fazer 250 e uma Ténéré 250 tbm ate o momento nada a reclamar delas.
    Belo desabafo Luana falando sobre a Lead.
    Abraço

  • Alex

    A questão do motor fraco e das suspensões de pequeno curso, que não absorvem impactos, são comuns a todas as scooters dessa faixa de cilindrada, e não da Lead. Acho que o mais sensato seri escrever um post chamado “porque não comorar uma scooter de 10cv”, independente da marca/modelo. Minha moto, uma Kawa ER6n, também tem suspensões de pequeno curso, e são uma tortura para as costas, apesar de ser uma moto cara e potente, ou seja, existe certos tipos de motos que não foram feitas para rodar no Brasil, mas isso não faz delas motos ruins em si.

    O engraçado é que tenho uma colega de trabalho que está tirando habilitação de moto, e eu disse pra ela as mesmas coisas que você comentou no post, mas mesmo assim ela insiste que vai comprar uma Lead… Acho que agora eu vou mandar esse link pra ela, quem sabe assim ela muda de idéia!

    • Luana

      Eu não poderia escrever um texto sobre porque não comprar um Scooter, pois eu só conheço um único Scooter, que é essa porcaria de Lead. Se toda Scooter é assim, eu não sei… O que sei é que não vou tentar descobrir. Scooter nunca mais!

  • André

    Boa noite. Não quero polemizar e muito menos defender a Bomba, além de não ser nenhum especialista. Apenas alguém que gosta de moto.

    Mas lendo esse post, parece um texto influenciado pela raiva que tomaram pela Bomba (com razão. Tbm fiquei indignado) e uma reclamação de quem não entende muito de moto.

    Não foi a escolha do modelo que foi errada. Foi a escolha do tipo de moto. Scooter é ruim. Não é privilégio da Lead. O motor dessa cilindrada é fraco msm, a suspensão tem o curso pequeno e o principal: As rodinhas de carrinho-de-mão. Essas rodinhas vão fazer vc sentir msm as irregularidades do solo. Não tem jeito.

    Freio combinado é bom e não foi o culpado da sua queda. Moto se freia é com o freio dianteiro msm. Vc que provavelmente marcou bobeira e freiou com vontade demais ou tinha alguma coisa que deixou o chão mais escorregadio do que o normal.

    Quem bateu em vc bateu pq é barbeiro msm. Não foi pq não te viu. Bateria msm se vc estivesse numa GoldWing.

    Peça original é cara msm. De todas as marcas. O jeito é achar paralelas de boa qualidade.

    E Concessionária eu não confio em nenhuma. Moto minha só meu mecânico de confiança encosta a mão.

    No mais, siga o conselho do Daniel. Pegue uma moto trail e seja feliz para sempre. Nunca mais vai querer outro tipo de moto.

    E fica tranquila que a principio a altura assusta, mas logo vc pega o jeito.

  • Carlos Silva

    Com td respeito,eu já teria entregado esta “kinem moto” a agência.Eu ficaria no “preju”,mas o alivio seria tanto,que a saúde voltaria ao normal.
    Dois modelo de moto eu lhe indicaria:A FAZER,Boa posição de pilotagem e boa resposta na aceleração OU uma Custom,tipo “Kansas 150,Mirage 250,mas não necessariamente elas.As custons são confortáveis,mas as de menores cc,são marcas inferiores q dificultam as manutenções.
    Mas vai de Fazer,tem mais agilidade no trânsito.OK

  • Pedro Henrique

    Eu tenho uma Bomba Lead 2012 já andei 14 Mil Km com ela e estou super satisfeito com a motinha, vou para o trabalho e para a faculdade todos os dias com ela.

    O grande problema é que as pessoas não entendem a proposta de uma scooter de baixa cilindrada, ela foi feita para ser usada em tagetos curtos e em ruas boas (que infelizmente não é nossa realidade, então devemos tomar mais cuidado ao pilotar uma scooter), muita gente compra achando que é uma moto categoria street de 250cc, se você comprar achando isso com certeza vai se decepcionar.

    Bom gosto muito dela e atualmente estou pensando em trocar por uma scooter maior ou uma custom.

    • mario

      Eu tbm gosto da minha. Sem problemas, acho que é só pegar o jeito da moto. Ela é, basicamente, uma motinha para o trânsito e não para alto desempenho.

  • Willian

    Luana, pelo que vc falou até agora esta moto é um tanque de guerra, não quebra, roda sem óleo e pula igual um boi bravo, mas acredito que a moto simplesmente não serve para seu uso mas para outras pessoas ela deve ser perfeita, eu não compraria pois eu rodo grandes percursos e moto para mim tem que ter velocidade para passar os carros.Mas boa sorte na próxima moto, e pesquise uma bem confortável e potente.

  • Rômulo

    bom texto, excelente review sobre a motinha…

    apesar de que, alguns dos problemas mencionados são referentes ao tipo de moto ou motoneta… por outro lado, outros problemas são causados pelo projeto, ou qualquer coisa que o valha, do fabricante, pois tudo indica que sejam crônicos.

    no saldo final, gostei do texto por fazer colocações estritamente pessoais, observações de quem convive cotidianamente com o motinho e consegue perceber suas qualidades e defeitos.

  • Mauricio

    Penso que sua insatisfação ser pela moto não atender as expectativas, para o seu uso especificamente.
    Tenho uma 2010 e para deslocamentos dentro da cidade ela é perfeita, só há de se ter certos limites pela suas rodas de patins.
    Fiz uma viagem e nesta situação é horrível a sensação de que ser vai ser “atropelado”.
    O freio nunca foi problema, nem outras peças.
    As carenagens na minha cidade podem ser compradas peça por peça.
    Até agora não tive problemas mecânicos.
    Quanto à política de preços da Bomba, é um assalto!!!

  • PRISCILA

    Tive essa moto, vendi com 5 mil km.
    É excelente pra quem faz pequenos percursos. Casa -mercado- faculdade.
    Pra ficar dentro da cidade.
    Pegar rodovia com ela é suicídio, sim!
    Meus problemas de coluna acabaram dps que a vendi..
    Troquei pela tenere, é alta sim, mas dei uma rebaixada pra conseguir maior apoio.
    Recomendadissimo.
    Mas ainda com todos os poréns, a lead foi um experiência legal. Pra saber pq fazer e oque não fazer em uma moto.
    Fazer é ótima tb, já tive. Mas de transito a tenere eh melhor!
    Essas motos pequenas não agüentam muita quilometragem. O ideal eh trocar todo o ano pro prejuízo ser menor.

  • Fabio R

    Apesar da negação,não deixaram de ser altamente tendencionistas, justificado pelos acontecimentos passados.Características comuns à “Scooters” não podem ser considerados problemas do modelo em questão;o sistema “combinado” é incapaz de provocar o travamento da roda dianteira em condições normais;a questão da dificuldade ou quanto ao custo da manutenção,definitivamente não é exclusividade do modelo da Bomba e quanto às demais características do produto mencionadas,poderiam ter sido evitadas com um simples test-drive…
    O jornalismo autêntico não pode considerar posições políticas de empresas
    e condenar seus produtos por isto,desrespeitando uma multidão de usuários que, não por acaso,fizeram parte do crescimento do setor e deste próprio blog.

    • Luana

      Obviamente você nunca andou com a Lead, não sabe do que está falando.
      Aplique força no manete do freio traseiro e veja a roda dianteira travar.
      Aplique pouca força em ambos os manetes, depois libere o manere do freio dianteiro e veja ele NÃO voltar (continua acionado com a mesma intensidade de antes).

      Esse freio não presta. Extremamente perigoso. Em uma situação de pouca aderência, a moto simplesmente te abandona.

      Sobre “jornalismo autêntico”, só tenho uma dica: Vá ler um jornal, não um blog. Aqui nunca foi lugar para opinião imparcial.

      • Lusitano XXX

        Jornalismo autêntico ? Lenda urbana, igual a loira do banheiro… A marca da asa de frango é a maior defensora do jornalismo autêntico. Só patrocina quem só publica as matérias, com o conteúdo e da forma que ela quiser… E depois, é o seguinte, Fabio R. . Aqui, se fala a verdade, o Blogueiro não tem vínculo com ninguém, não deve nada prá ninguém, e como ele mesmo já disse, “O blog é meu, e público oque eu quiser…” Tá certo ele… E tem mais, Brasileiro é burro! Compra moto cara, de tecnologia ultrapassada, aceita um Presidente do senado condenado por avançar no dinheiro público com notas frias, vota no PSDB, que vende e privatiza até a Mãe, se deixarem, e vai por aí a fora… Jornalismo autêntico ? Vai ler “A sociedade do Espetáculo”, de Guy Debord, e assistir “Cidadão Kane”, de Orson Wells, e depois conversaremos sobre manipulação de massas pela mídia, e “jornalismo autêntico” …
        “Foi um prazer, passa aí qualquer hora, prá gente tomar um café ….” Lusitano XXX

  • Eduardo Toda

    Olá amiga.
    Fazia tempo que não via um post seu aqui no Motosblog….
    Este ano então teremos a ressurreição da Eleanor ??? versão 2013??? A Fazer Blue Flex acho que te cai bem, você chegou a dar algumas voltas quando a moto estava em teste? Ou o Daniel se “apossou” e não deixou dar uma volta…kkk
    Um agrande abraço a vocês dois, aos gatos, a todo mundo daí….

    • Luana

      Eduardo, minhas opiniões são sempre polemicas, e com isso vem os comentários desagradáveis, por isso eu não escrevo muito aqui.
      Já estou passando raiva com os comentários que dizem que esse post é pq estamos em guerra contra a Bomba.
      Abraços!

  • Fernando

    Para mim, o pior neste modelo são as rodas pequenas, que além de ficar a mercê de qualquer buraco, não dão estabilidade, nem oferecem segurança. Como já falaram aí em cima, é um veículo para a Europa ou Japão, onde as ruas não são esburacadas e o trânsito é educado.

    Abraços e boa próxima escolha !

  • alexandre

    Comprei uma 50cc Aprilia. Maravilha. As rodas são grandes, quase do tamanho de uma CG e o motor de 50cc impressiona. Chega a 90km facilmente, algo incrível para uma Jog 50CC. Não pula, não joga… freios perfeitos, motor redondinho. Prova que a cultura italiana na fabricação de motos é levada a sério.

  • fernando henrique

    Luana também concordo com o Daniel que a ténéré 250cc é uma boa opção,a fazer também e´muito boa,já tive uma e não tenho do que reclamar,é claro que moto perfeita não existe mas ela é uma ótima moto e com um exelente custo benefício,porem,se voçe teve problemas na coluna talvez não vá resolver com a fazer falo por experiencia propria outra opção seria a NXis Érre BROZ que foi o que recomendei para a minha tia que tambem estava com problemas nas costas,ela tem uma cg titan e vai trocar por uma broz mas ai já é uma moto inferior a ténéré.”bom! vou ficando por aqui”.Luana melhoras pra voçe.Nós vamos ficar esperando outra matéria pra gente saber qual foi a sua escolha,já tá rolando até umas apostas aqui kkkk vlw.;)

  • adriano

    eu não sei o que os brasileiros vem na Bomba não troco a suzuki nem yamaha por Bomba nenhuma falo isso porque minha primera moto foi uma Tuíster e qualquer pecinha vinha a faca junto , agora peguei uma bandit to até adimirado da o mesmo gasto que uma 250 ou menos (os disco de embreagem por exemplo e mais barato o bandit) kkkkkkkkkkkk

  • Lúcius

    É, foice o tempo em que a emprêsa dona da famosa frase “asas da liberdade” era sinônimo de qualidade neste país. Eu mesmo era fanático pelas motos da mesma. Hoje estou liberto, e olha que nem precisei frequentar algum templo da universal.. kkkkk. Agora, esquenta não, vc vende essa LÍDI rapidinho, pq ainda tem bastante gente alienada à esta marca que nem faz questão, afinal, como eles sempre falam: MERDA É MERDA.

  • j.Victor SM

    ola belo artigo luana!meu primo teve o mesmo problema com o freio da led,ele caiu do nada,e ele tava devagar tbm!
    bom venda ela e panhe uma moto que te de segurança e conforto!
    pega tipo uma xtz pra começar ou se quiser pegue um tenere(otima moto)
    mto comforto !! mas a fazer tbm quebra um galhao!
    so nao cai nas 300 da onda,va de yamaha que e mto melhor!

  • Daniele Ortiz

    Ótimo relato, com certeza. Tenho uma Burgmann i, novo modelo de scooter da Suzuki de 125cc e posso dizer que pra mim foi a melhor escolha que pude fazer. Na época em que meu noivo decidiu me ajudar em comprar uma moto, analisamos vários prós e contras de todos os modelos de scooter encontrados no mercado, e não tenho dúvida em dizer que a moto é excelente. Também utilizo para trabalhar e faço um percurso de 20 km quase todos os dias até a faculdade, e ela se comporta muito bem. Ela tem um desenvoltura fantástica quando chega a 100 km/h, é estável, não pula demais, não é nem um pouco desconfortável, sem falar no farol dianteiro que ilumina muito bem. Estou apaixonada pela moto e recomendo sem sombra de dúvida. Poderia escrever linhas e linhas expressando minha satisfação com a mesma, mas acredito que paro os interessados isso já basta.

  • Daniel

    Realmente não convenceu. Também não gostei do que a Bomba fez aqui no blog. Mas atacar a Lead dessa forma só faz esse blog perder a credibilidade. É claro que, para longas distâncias, a posição montada é melhor do que a sentada. Mesmo a Biz pode causar dores na coluna, como aconteceu com um colega meu que andava longas distâncias diárias. Mas a Biz é uma boa moto, é confiável.

    Pra realidade das ruas brasileiras, as melhores motos são a Broz, Tenere, Lander, etc.

    A maioria do que foi dito serve para todas as scooters pequenas de todas as marcas, e não apenas para a Lead. Até a Citycom sofre com a buraqueira.

    Essa do óleo…tem a foto, mas não dá pra provar. Até agora, não tinha visto nenhum problema assim com a Lead. E aconteceu justamente depois da palhaçada da Bomba.

    Nas frenagens, também acho a Lead pouco segura, como qualquer outra scooter. Os freios ficam nas mãos, isso pesa demais. O correto seria todas as motos terem ABS. A posição sentada piora a segurança, porque não há firmeza nas pernas para segurar o corpo, ficando tudo muito solto.

    Com relação a levar batidas de carros,isso ocorre,porque SP tem muita gente, logo, tem gente de todo o tipo dirigindo, inclusive muitos retardados, distraídos, imprudentes, imperitos, estressados, etc.
    A Lead é grande suficiente para ser vista de longe. Ao ligá-la a lanterna traseira sempre fica acesa e o farol dianteiro também. É impossível deixar a motoneta apagada por aí, a não ser que se altere alguma coisa. Aliás, ela é tão pequena quanto a burgman,smart, etc.
    Colocar a culpa no tamanho da Lead, pra justificar uma batida é demais. Quer dizer que os motoristas que te bateram não pagaram seu prejuízo, pois vc concordou que a culpa foi sua por ter comprado uma motoneta pequena demais?

    O texto ficaria mais isento se dissesse que pilotar na posição sentada por muito tempo pode dar dores na coluna, seja em motos de quaisquer marcas. Que todas as scooters sofrem com a buraqueira das ruas brasileiras e a batida do buraco reflete na coluna. Que o melhor tipo de motos para nossas ruas é do tipo Lander.

    O limitador de giros da Lead foi aumentado. Agora, ela atinge velocidades maiores. Isso não foi citado no texto. Foi uma omissão grave, pois pode levar as pessoas a pensarem que se comprarem uma Lead 0km, ela chegará somente aos 80 km/h o que não é verdade. Ela anda aproximadamente igual as demais concorrentes.

    Quando eu caí da Lead, venderam-me apenas as peças avariadas e nada mais. Não teve essa de comprar peça que eu não precisava. Se for assim, a Bomba deve fazer essa mesma política com todas as motos. Se alguém cair de uma CG do lado direito e ralar alguma coisa, terá que comprar todas as peças do lado direito e do esquerdo, pois tudo vem num kit? Isso é ilegal.

    Seria melhor ter apenas evitado falar da Bomba, conforme foi dito aqui no final do ano passado. O blog ficaria mais isento.

    A gente sabe que a Bomba e a lead não são uma maravilha, mas essa postagem forçou demais.

    A Bomba errou primeiro e vcs erraram logo em seguida.

    • Daniel Ribeiro

      Bom, essa eu vou responder:

      A maioria do que foi dito serve para todas as scooters pequenas de todas as marcas, e não apenas para a Lead. Até a Citycom sofre com a buraqueira.

      Sim, e dai? De que forma a Lead se exclui dos comentários?

      Essa do óleo…tem a foto, mas não dá pra provar. Até agora, não tinha visto nenhum problema assim com a Lead. E aconteceu justamente depois da palhaçada da Bomba.

      Essa do óleo é simples: A porcaria do óleo semissintético que eles estão usando como original simplesmente some do motor. Eles usavam o móbil preto, que já era uma porcaria, e conseguiram achar um ainda pior. Usando Yamalube, Motul 3000, Lubrax Essencial, e até o Mobil preto, isso não acontece.

      Nas frenagens, também acho a Lead pouco segura, como qualquer outra scooter. Os freios ficam nas mãos, isso pesa demais. O correto seria todas as motos terem ABS. A posição sentada piora a segurança, porque não há firmeza nas pernas para segurar o corpo, ficando tudo muito solto.

      Eu já tive outros scooters quando era criança (PGO Super Fifty, Passing 110, Sundown Speed 90), e nenhum deles sofria disso. O maior problema é esse freio combinado mal acabado. Nenhuma moto precisa de ABS para ser segura… o ABS aumenta a segurança obviamente, mas a ausência dele não deveria tornar a moto menos segura… Proeza que a Lead consegue.

      O texto ficaria mais isento se dissesse que pilotar na posição sentada por muito tempo pode dar dores na coluna, seja em motos de quaisquer marcas. Que todas as scooters sofrem com a buraqueira das ruas brasileiras e a batida do buraco reflete na coluna. Que o melhor tipo de motos para nossas ruas é do tipo Lander.

      Isenção nunca foi nossa política. Opinião é nossa política.

      O limitador de giros da Lead foi aumentado. Agora, ela atinge velocidades maiores. Isso não foi citado no texto. Foi uma omissão grave, pois pode levar as pessoas a pensarem que se comprarem uma Lead 0km, ela chegará somente aos 80 km/h o que não é verdade. Ela anda aproximadamente igual as demais concorrentes.

      O Servitec FC foi retirado 3 meses depois de instalado (a moto não tinha nem 5000 km quando foi retirado). A Luana já havia dito isso em Julho do ano passado em outro post. E sim, a Lead só atinge 80 km/h… 79 para ser mais exato. Ela é limitada eletronicamente. O painel marca 85, mas o GPS marca 79. Todas as Leads saem de fábrica com essa limitação até hoje, sendo a mais lenta de todas as concorrentes.

      Quando eu caí da Lead, venderam-me apenas as peças avariadas e nada mais. Não teve essa de comprar peça que eu não precisava. Se for assim, a Bomba deve fazer essa mesma política com todas as motos. Se alguém cair de uma CG do lado direito e ralar alguma coisa, terá que comprar todas as peças do lado direito e do esquerdo, pois tudo vem num kit? Isso é ilegal.

      Pois é… Concessionária é a Radar Motos de Osasco. Só vende o kit com as 4 peças laterais (duas de cada lado). Se você só precisa do lado direito, vai ter que levar o esquerdo junto. É ilegal? É sim… mas quem disse que a Bomba se importa?

      Seria melhor ter apenas evitado falar da Bomba, conforme foi dito aqui no final do ano passado. O blog ficaria mais isento.

      Isenção nunca foi nossa política. Opinião é nossa política.

  • Sergio

    Luana,

    Bhá. O pior é que eu, por tem tido uma sooter (Yamaha AT 115 Neo), achava que essa daí também deveria ser um boa.
    A Neo também tinha a suspenção um pouco limitada sim, mas eu achava razoável. E olha que minha minha referência são as big/maxxi trail.
    Quanto ao desempenho também não posso me queixar. Ela atingia rapidamente os 80 km/h e se mantinha facilmente na faixa dos 100, com médias de 35 a 40 km/l.
    Manutenção: Um litro de óleo a cada 3.000 km. No início deu um problema no carburador, que foi arumado na garantia, e depois disso nunca mais de problema algum.
    Vendemos ela com 16.000 Km porque acabou ficando sem uso. É que na verdade tinha comprado para minha mulher e ela desistiu de tirar carteira para moto.

    ABRAÇO E BOAS CURVAS.

  • Sergio

    Esqueci de comentar: Isso ai da pra recuperar tranquilo sem trocar peças.

  • Claudio

    Eu só aguentei andar nessa moto por um ano, como foi a minha primeira moto era até bom que ela não corresse muito mesmo pra que eu não me empolgasse demais e acabasse me machucando com ela, a minha tava com 9000km quando troquei e não deu nenhum problema, mesmo com o fuel controller fazendo o motor cortar giro a 10500rpm, mas mesmo assim a moto mal passava de 80Km/h quando tinha vento contra, não tem jeito, o motor dela é muito fraco mesmo, quanto ao freio combinado, eu percebí que a intensidade da distribuição da pressão de frenagem entre a roda dianteira e traseira é puramente mecânica, então se a regulagem do freio traseiro estiver muito baixa, ele coloca muita pressão no freio dianteiro, entretanto, quando o freio traseiro está com a regulagem bem alta, ele quase não coloca pressão no freio dianteiro, sendo assim, é só regular o freio traseiro bem alto que melhora bastante esse problema de travamento da roda dianteira, vai ficar meio duro pra travar o freio de estacionamento, mas é melhor que levar um tombo em dia de chuva.
    Agora estou com uma Xis ÉrreE, é como mudar da água pro vinho, a moto é muito macia, quase nem sinto as ondulações e os pequenos buracos nela, sem falar que ela anda tranquilamente a até 120Km/h sem esforço, ela agora está com 7000Km e até agora não deu nenhum problema, mas sempre bate aquela desconfiança quanto a durabilidade do motor dela.

  • Tonis222

    Comprei uma Lead quando saiu aqui no blog. a minha tb tem 25mil km e até agora nao deu nenhum problemao, desde os 1000km ela faz um barulho meio alto na hora de ligar, mas vem vindo firme e forte.
    Quando troquei a pastilha aos 20mil ela me custou 86 e alguma coisa. o pneu traseiro dura so 10000km (o xing ling original) coloquei um pirelli e parece que ja este ficando ruim com 5000 e poucos km.
    ODEIO o freio combinado, ja me deu varios sustos mas ainda nao cai por causa dele. A motinho é boa, a minha entao ja foi em cada buraco, mas ja to de saco cheio de andar a 80 no maximo.
    Entao qual a proxima moto pra eu comprar??

  • Alexandre

    Eu estou completamente arrependido de ter comprado uma “BOMBA CEBÊ 300.” Nunca vi uma moto pra dá tanto problema… (fora os problemas que já veio com ela!) Que ÓDIO da “BOMBA!!!”

  • Adimar (Pardal)

    Está aí, preto no branco.
    Devo admitir que rodar 20 km todo dia com ela, necessita de uma boa coragem, ainda bem que você desistiu Luana hehe. Mas sendo sincero, pagar 6 conto em uma moto com pneu de carrinho de mão, para rodar nas estradas brasileiras, é loucura (desculpem a sinceridade). Ela é uma ótima moto, pra rodar dentro de um condomínio fechado.

  • Alberto

    É inacreditável como certas motos da “onda” são campeãs de emplacamento… são motos q representam descaso com o consumidor.

  • Fernando

    As vezes eu fico pensando, será que o sistema de freios C-ABS oferecidos nas motos maiores, também não apresentam o risco de tombos, uma vez que você não consegue controlar as rodas independentemente ?

    • Daniel Ribeiro

      Fernando, a Lead não tem ABS… Os freios são apenas combinados, sem o sistema anti-travamento.
      Com o C-ABS da Bomba, apesar de haver o sistema combinado, também há o sistema antibloqueio, então, teoricamente você não conseguiria travar as rodas em hipótese alguma.

      Mas a pergunta é: Porque não fazem os freios independentes e com ABS, como nas BMW? Porque essa insistência em querer ditar como o piloto vai frear? E se o cara não quer mesmo usar o freio dianteiro, qual o problema?

      A Burgman 400 do modelo anterior tinha freios combinados (sem ABS)… O último modelo não tem mais, e os freios voltaram a ser independentes. Provavelmente viram que isso ai não serve para nada.

      • Sergio

        Eu gosto do ABS&DCEBÊS da minha Varadero. Acho que ele ajuda a equilibrar melhor as coisas, particularmente nas frenagens de emergência ou de pânico.

        ABRAÇOS.

  • Carol

    Olá Luana!
    Parabéns pelo post, muito bem explicado!

    Eu amo motos desde o ventre de minha mãe(apesar de eu não pilotar muito), sou apaixonada pelas trail/off-road (na infância sempre morei em sítio), sonho em ter uma (nem que seja adaptada/rebaixada ou para ver meu pai andando rs). Infelizmente eu tenho 1,54m e 54kg, na CeGe 150 do meu marido, fico bem na pontinha do pé, não consigo nem manobra-la, já na Factor 125, fiquei mais confortável com os dois pés no chão.
    Mas como eu só uso saias e vestidos, meu marido acha que para mim, só serve essas scooter afins (Quem vê ele falando, até parece que vou andar de moto só com a calcinha por baixo da saia oO).
    Não é porque li seu post, mas eu nunca gostei de scooter, acho que não é minha cara, não é meu estilo, não me vejo andando nisso, não gosto nem de ir na garupa. Talvez não tenha muito haver, mas, eu que cresci andando a cavalo, penso que moto de verdade, você tem que montar nela e não sentar. Por isso que no C.T.B. elas tem uma categoria separada.
    Apesar de gostar das trails, por causa da minha altura já namorei as customs, mas elas não são muito práticas para o dia-a-dia, então estou começando a namorar as nakeds (de maior cilindradas),como a Ducati Monster 696cc 80 cavalos com apenas 770mm de altura do assento, na Europa à fora ela faz a felicidade da mulherada! Pena que é cara, aqui não tem muita assistência técnica e por enquanto ainda não é fabricada no Brasil.

  • Cliff Bernaldo

    para acompanhar os comentarios…

  • Lucas

    vcs podem colocar esse título? Pensei que a Bomba não estava mais permitindo usar o nome dela.. Ademais, era olink que eu precisava pra indicar a burgzinha pra minha esposa. Ela queria pegar a Lead apenas pelo bagageiro..Esse CEBÊS é assasino, não é incomum relatos de pessoas que tomaram um chão por causa dele em dias chuvosos…vlew

    • Daniel Ribeiro

      A Bomba não tem que permitir nada. Falamos o que queremos e pronto.
      Mas a melhor coisa que você faz é comprar outra moto para a sua esposa.

  • Fernando

    Olá Luana,
    Concordo com a opinião de alguns aqui que você misturou 2 assuntos: as (más) particularidades de um scooter de baixa cilindrada e os problemas específicos da Lead.
    Achei engraçado o comentário do Willian:

    “26 de fevereiro de 2013 às 6:28
    Luana, pelo que vc falou até agora esta moto é um tanque de guerra, não quebra, roda sem óleo e pula igual um boi bravo,”

    Entretanto, vc não precisa desistir de todos os scooters por essa má experiência. Os reviews da Citycom 300 da Dafra são (relativamente) bons. Ela não tem rodinhas de brinquedo e o motor tem quase a mesma potência do da Fazer. Talvez seja uma boa vc dar uma olhada.

    Sds

  • Fernando

    BTW: Não precisava ter voado com os dois pés no peito do Fabio R…

  • Antônio Carlo

    Estou Muito Feliz! Pois as Pessoas estão acordando a Yamaha Precisa Mudar Muito o atendimento prá melhorar e a Suzuki os preços das Peças mais de Longe são melhores que algumas marcas mais comercias,Já tive Lander 250cc,Fazer 250cc,XTZ 125cc e não tive problema algum e vendi por um exelente valor de mercado e quem me comprou até hj está satisfeito e não quer sair da marca.
    Sobre o óleo passaram um tempão falando que o tal óleo era o Melhor, hj fale que vai colocar prá vc ver o Pulo,eo pior estão com outro óleo pior ainda pois é SAE10W30 – pior no indice de viscosidade e que também não tem um bom API pois ele só atende SJ e não é! Usem Óleo Mineral API SL se poder use o Sintético que é melhor ainda mais o Yamalube se Garante Rodo co ele 4.ooo Km na Fazer e Na Lander e Na Sahara 3.000 e Na C100 BIz Rodo 3.0000 km.

    Abraço
    Se Tivesse comprado Uma Crypton ou Uma Neo Não Teria se arrependido!

  • Hallamo

    Oi Luana.

    Respeito os seus comentários, mas:

    Tenho uma Lead 2010 e esta com 18.000km, por incrível que pareça, não tenho problema com ela.

    Mas concordo que é desconfortável para ruas esburacadas que é o caso de São Paulo, como fico em Campinas, tem ruas péssimas.

    As peças podem ser compradas separadas sim, com certeza a Concessionária esta passando a perna em você. Dependendo da peça é um pouco mais cara.

    Freio combinado: Faço curvas rápidas na Rodovia Anhanguera e pelo Centro da Cidade, situação de chuva, pode ser sorte? Não sei, mas nunca tive problemas com ela. As vezes quando entro nos viadutos da Anhanguera que da acesso ao centro de Campinas a 70km por exemplo, enfio a mão no freio traseiro e dianteiro mantendo uma distância segura dos carros caso aconteça alguma coisa eu caiu direto na grama “espero” rs.

    Não confio em concessionárias, pois é um verdadeiro assalto. Cobram o que não fazem etc.
    Lembre-se que Concessionária é franquia, sendo assim, ta CHEIO de picareta.

    Mecânico somente particular, e tá RARO achar 01 que trabalhe honestamente.

    Acidentes: Graças a Deus e ao meu MEDO, sempre olho no movimento dos motoristas, seja ele na minha frente ou pelo retrovisor. Mortista não ver a moto? Mentira, É barbeiragem mesmo do motorista.

  • Cyro

    Realmente, esta questão do freio combinado só é bom em conjunto com o ABS. Tenho uma Rórnet que dispõe desse sistema e funciona muito bem. Não tinha reparado no perigo que causa esse sistema de apenas combinar a frenagem das duas rodas, sem a ajuda do ABS. Entre um e outro, é melhor a segunda opção, pois que eu saiba apenas a Kawasaki e a Bomba dispõem de modelos com os dois sistemas. No mais essa motinho é limitada mesmo, servindo para uso urbano, nada mais.

  • Fernando

    Oi Carol,
    Vc podia dar uma olhada na F800R da BMW. É uma baita de um Naked o banco na regulagem mais baixa fica com 775 mm. Se eu não me engano o Daniel fez um post sobre motos e alturas dos bancos. Seria bom vc dar uma olhada.
    sds

  • Edi Brito

    Eu recomendo pegar uma XTZ, se pegar Fazer vai sentir um pouco as costas. Tenho ela, uma ótima moto, tem só 6 meses, nada de problema, só felicidade, mas achei um pouco desconfortável em viagens longas. Abraço!

  • Maciel

    E agora!?
    Comprei minha Bomba Lead depois de ler as materias e comentarios no Blog.
    Confiei no que estava escrito.
    Fiquei indignado com a atitude da Bomba. E coloquei meu Lead a venda. Não por achar ela ruim, mas pela indignção mesmo.
    Indiquei o Blog a intereçados no meu Lead. Para que leen as materias a respeito da moto.
    Uma moça ficou bem intereçada, eu falei pra ela ler a mataeria da Luana, e disse que ela falava super bem da moto. Se ela viu o Blog, meu negocio ja era.
    O Daniel me falou que o Citycom e bom. Mas acho melhor esperar um tempinho…

    • Daniel Ribeiro

      Bom, existem alguns textos sobre a Lead aqui no Blog. O primeiro teste, com 1000 km, obviamente fala melhor da moto do que o segundo, que foi com 20 mil km. O segundo teste inclusive já está no ar desde junho do ano passado, então se a sua potencial compradora resolver ler ele, também pode pensar em não comprar a moto.

      As coisas mudam… O que mudou aqui foi basicamente o uso que a Luana dava para a moto, e o desgaste natural (e prematuro) dela. Quando ela comprou o Scooter não precisava andar muito, agora precisa e o Scooter se mostrou ineficaz.

      • Pedro

        Definiu bem, Daniel. Falta scooter para o que a Luana precisa hoje. Eu moro em Porto Alegre, trânsito travado, cidade provinciana se comparada ao tamanho de São Paulo. Tenho um Lead há pouco mais de um ano, menos de 20 Km por dia, ida e volta ao trabalho e mais alguma voltinha curta. O que sei do Lead é que ele é bem fortinho, mas é para pouca quilometragem diária e para velocidade até 60 Km/h se quiser se sentir seguro. E evitar dia de chuva o máximo que puder. Fora disso, é melhor voltar para a moto ou comprar um scooter de Citycom para cima.
        Scooter é que nem moto custom, ou você ama ou você odeia, ninguém fica indiferente a eles. Então, se uma pessoa me diz que nao gostou de moto custom, melhor trocar o estilo. Scooter é a mesma coisa, se a pessoa não se adaptou bem, é melhor não insistir e voltar às motos, porque é muito desagradável pilotar um veículo de duas rodas que a gente não está gostando, todos sabemos disso, né?

  • Alexandro

    Post interessante. Também concordo com o fernando (logo acima) que o único senão do post é que tratou alguns detalhes que são comuns a todas scooters pequenas com o problema exclusivos da Lead.
    Tenho um Burgman i a quase dois anos e não tenho do que me queixar. Meu trajeto casa/trabalho é pequeno, 30km ida e volta então creio que por isso não tenho problemas de dores nas costas, mas isso com certeza é comum em um usam mais prolongado em qualquer scooter. Também não sei a altura da Luana, mas sou baixinho (1,63) então para mim a scooter “encaixa bem”

    Com relação as rodas pequenas, tive um certo receio no inicio, hoje tiro de letra. Não sei se a suspensão traseira da Burg possa ser um pouco melhor que a da Lead, pois mesmo pegando alguns buracos e remendos de rua, é dificil sentir a trazeira bater no fim de curso. Acontece mais da frente bater no fim.

    Com relação a concecionária, isso não é exclusividade da marca das asinhas, na Nrs J.Toledo, os preçõs não são nada camaradas e o atendimento/serviço não é dos melhores. Pedem um dia para trocar o óleo !!! Depois de finalizada a garantia, a minha nunca mais parou na concessionária, se preciso levo em um mecanico de confiança (mas até hoje só levei para troca de oleo mesmo).

    Quando fui comprar fiquei em duvida entre burg ou lead, preferi a burg pois acho mais bonita, sairia um pouco mais barato, o vendedor da suzuki não quiz me fazer acreditar que o consumo seria mais de 50km/l como o da Bomba disse (ah tá) e depois que desse freio combinado, fiquei meio com pé atras disso. Vejo que fiz bem em ficar com a Burg !!!

  • Marcos Mendes

    Luana, muito obrigado! Com esse relato você fez minha mãe desistir de comprar essa bomba… Realmente é muito exploração pelas peças e também pela moto. Eu não entendo nada de scooters e não sabia dessa de dar dores nas costas, me ajudou muito pois minha mãe já tem problema de coluna. Infelizmente ela não consegue andar em uma trail, pois ela é bem baixinha e até uma fan fica alta para ela… O ideal para ela seria mesmo uma scooter ou custom.

  • João Arratia

    Olá

    Tenho uma Lead 2009 com praticamente 18.000 km e uma ninjinha.

    Rodo atualmente cerca de 50 km por dia, tenho 39 anos e não tenho dores nas costas.

    Não tenho absolutamente nada a reclamar da scooter, mesmo pegando um trajeto onde a velocidade máxima é 80 km por hora…na chuva ela sempre me pareceu muito estável e sempre que precisei frear, mesmo em situações de emergência ou na chuva, a motoca nunca me deixou na mão.

    Ela pula bastante?…pula, mas é característica do produto…por enquanto sempre fiz as manutenções e só tive um problema, que foi a quebra do cabo do velocímetro.

    Foi minha primeira moto e sinceramente, pra mim, ela atende minhas necessidades.

  • Robinson

    Seu post é bom, mas me parece muito rancoroso.
    Eu tenho uma Lead.
    Está com 13500 km.
    A arrancada é a mesma, desde a compra.
    A velocidade e o consumo são os mesmos.
    Ela me parece muito estável no seco e “tampa de caixão” no molhado.
    Eu já caí com ela, porque pressionei demais o freio combinado junto com o dianteiro na chuva.
    Desde então mantenho os pneus super calibrados e aprendi sobre o seu comportamento e dos freios.
    Também já travei a roda traseira, pq pressionei demais o freio combinado na chuva, com o pneu traseiro pra lá do twi.
    Mês passado, paguei R$ 120,00 no pneu traseiro + R$ 60,00 de mão de obra para o troca, na concessionária.
    Agora ela atinge quase 90km/h. Com o pneu gasto, não chegava a 85km/h.
    Uns amigos do Sccoter & Cia, disseram que as Leads antigas atingem no máximo 80km/h.
    Ela é muito dura e desconfortável, copiando tudo o que estiver no asfalto.
    Dói as costas em trajetos acima de 70km. Meu pai é idoso e foi andar com ela, resultado: quase me deserda ! rsrsrs
    Fui num passeio pra Campos do Jordão, saindo de São Paulo, e deixo um alerta: É terrível de cansativo ! Porém a culpa foi minha, pq essa não é a proposta da moto.
    Outro problema é que se você for um pouco alto e for fazer curva fechada, seu joelho pode entrar por baixo do guidão e segura-lo, portanto abra as pernas nas curvas. Eu quase caí por isso.
    Com 11000 km ela começou a “tossir” na hora da partida.
    Ela dá um estralo terrível e não liga !
    Tem que persistir.
    As vezes tenho que acionar a partida umas 4 vezes.
    O funcionário da concessionária me disse que é assim mesmo e que vai piorar, mas eu devo ficar tranquilo, pq ele tinha atendido uma Lead com 50000km que estralava muito pior.
    Disseram que é uma característica por produto.
    Estou me sentindo enganado, pq se é característica então deveria estar no manual ?
    Quando penso em vendê-la, penso também no espaço do bagageiro, praticidade, consumo, poucos roubos e desisto.
    Bom…
    A moto tem seus limites, problemas e virtudes.
    É fundamental respeitá-los.

  • Aderpa

    Sobre o problema do retentor:
    Se eu entendi bem, eles só suspeitaram que o problema era interno no motor só depois que passou a garantia! Algo que poderia ter sido verificado antes, contudo, foi mais conveniente para a concessionária sugerir este reparo só depois que venceu o prazo de garantia da fábrica! Isso é espetacular, não não surpreende de forma alguma!

  • Lia

    Nossa tem gente aqui q se estressa por besteira! Existem motos para todos os gostos e tipo de pessoas, no meu caso uma scooter seria perfeita pq sou desprovida de altura rs to loka p comprar uma moto assim q tirar minha carta. Pena q não gosto desse estilo de moto, parece ser bem desconfortável. Quero comprar algo que eu me sinta bem e confortável para trabalhar pq andar de bus está cada dia mais difícil!

    Luana eu gostaria de saber qual a sua altura.

    Obrigada

    Abraço e parabéns pelo blog

  • jean

    Ola Luana e pessoal !!!!

    Tmb tive uma LEAD… vendi com 9500 km ( por ai).. comprei uma fazer 250… bem a LEAD he uma moto boa par curtas distancias e NA CIDADE.. pois pegar uma rodovia he risco na certa( pelo seu limitador) he por ser *ONDA essa moto poderia ser algo melhor…. Alias havia ralado ela numa curva ( não sei onde apareceu uns buracos) e $ 300 contos só pra trocar 2 pecas de PLASTICO. isso do freio q vc ( Luana) comentou…. tenho amigos q tmb caíram por causa dele na chuva.

    depois disso nunca mais terei moto *onda

    t+ galera

  • Wagner

    Eu falei no post sobre a Lead com 20 mil kms que era uma motinha pra comprar pão e quase apanhei…

    Continuo com a Lead…e mês passado precisei ir com certa frequência ao litoral paulista, em Monguaga. Fui algumas vezes de carro, e um dia, um calor de fritar ovos no asfalto, olhei pra Lead na garagem e pensei, “acho que ela aguenta, e eu?” peguei a jaqueta capacete, luvas e fui embora….loucura? também achei…mas gastei bemmmmm menos $$$$ e por incrível que possa parecer, menos tempo também, pois o trajeto até a estrada aqui em SP eu de carro perdia mais de 1 hora. Lá no litoral a rodovia é 80km/h o limite, a Imigrantes no trecho serra também, então eu estava praticamente dentro do limite o tempo todo. Subiu a serra inteira a 80km/h, melhor do eu imaginava, e olha que passo dos 100kg. Doe sim as costas, mas encontrei uma posição melhor colocando os pés nos pedais do garupa. Fui 2 vezes com ela, e se der na telha vou de novo sem medo.

    Esse lance de freio, de cair, já ouvi relatos, mas não é culpa da moto e sim do condutor. Algumas motos caras tem sistemas parecidos, mais sofisticados e nem por isso nego sai caindo.

    Agora, eu NÃO RECOMENDO a Lead nem qualquer outro scooter pequeno pra ninguém, comprei na vontade de ter um scooter, mas é pequeno demais, e desconfortável mesmo e com muitas limitações e quem quiser to vendendo kkkkk

  • luana

    Pessoal, eu vou tentar ser breve e responder alguns comentários.

    Quanto a comprar uma moto trail:
    Eu já andei de falcon durante muito tempo, ter a tenerê não seria um problema, eu consigo pilotar a moto tranquilamente, só me sinto mais segura em uma moto mais baixa como era a minha antiga Tuíster, eu sei que a suspensão da tenerê seria melhor, mas eu não quero essa moto, não acho ela esteticamente bonita, e acredito que uma street me faria mais feliz.

    Quanto a minha falta de habilidade na pilotagem:
    Sim, eu posso ter usado muito freio, posso não saber andar direito na chuva, tudo pode ter acontecido, mas acredito que o freio combinado ajudou na queda, e quem caiu o tombo fui eu, que por sinal foi meu primeiro tombo em 10 anos andando de moto, então eu acho que sei o que aconteceu, e um fato isolado não pode jogar no lixo 10 anos sem tombos, durante 10 anos eu nunca cai, então eu pilotava bem, agora que eu cai um tombo sou barbeira? Por favor, isso acontece com todos, seja por problemas na moto ou por imperícia, acontece, aconteceu comigo e provavelmente vai acontecer com você que está lendo isso agora.

    Quanto ao rancor com relação a Bomba:
    Eu sempre tive motos da Bomba, já tive uma Tuíster, uma falcon minha, uma falcon com meu marido e agora a Bomba lead, gosto da marca, acredito que apesar de tudo eles ainda fabricam ótimas motos, a vontade deles de proibir postar sobre eles aqui no blog não me impede de colocar a opinião sobre um produto MEU, algo que eu comprei e paguei com o MEU dinheiro, então eu vou falar da Bomba seja bem ou seja mal, se um dia eu voltar a ter uma moto da Bomba e se algo estiver errado eu vou sim falar aqui, é por esse motivo que temos o blog, para colocar a nossa opinião sobre qualquer assunto que seja, gostem os leitores ou não, gostem as montadoras ou não, pode não parecer, mas vivemos em um pais onde ainda é permitido colocar a opinião sobre algo que nos pertence.

    Você escolheu a moto errada:
    Escolhi a moto certa para o momento, sem pensar no futuro, comprei o que o meu dinheiro permitia. Errado isso? não acho! Eu precisava de uma moto, na época não estava trabalhando, então a lead me atendeu no momento, agora que ando muito, que preciso de mais agilidade e com os desgastes da moto ela NÃO SERVE MAIS, por isso fiz esse post, se alguém vai dar o mesmo uso que eu dou a essa moto NÃO DEVE COMPRAR A LEAD.

    Todas as scooter são assim:
    São?? eu não sei, só tive uma scooter e é dela que eu posso falar, seria injusto falar da burgman ou de qualquer outra moto afinal eu não posso atirar uma pedra em algo que eu não possuo, por isso falei da lead.

    Então quer dizer que a moto não presta?:
    Ela presta desde que você ande em uma cidade pequena, com pouco transito, ruas boas, que tenha um bom mecânico, seja baixo, não seja muito pesado, trabalhe perto de casa ou não trabalhe. Ela serve para pequenos percursos, a moto é valente, mas não existe valentia que suporte as ruas e o transito de São Paulo, pra mim ela não serve.
    __

    Eu vejo aqui muitos comentários nervosos de leitores (na sua maioria proprietários de lead.) querendo agredir a minha opinião, eu tenho uma coisa a dizer, um dia eu já fui “tapada” como alguns aqui, certo dia um leitor deixou um comentário “Essa moto só serve para ir na padaria comprar pão” lembro como se fosse hoje como eu fiquei com o orgulho ferido, querendo mandar o leitor a PQP, hoje eu vejo que ele estava certo e eu estava errada, não lembro em qual post esse comentário está, só sei que eu errei, e tenho certeza que hora ou outra os donos de lead vão notar que estão errados também.

    Abraços a todos!

    • Wagner

      Foi eu que falei sobre ser uma motinha pra ir na padaria. Tenho a Lead ainda, uso pouco, e não gosto dela, e como falei acima não recomendo nem ela nem qualquer scooter pequeno….mas como esta aqui na garagem vou usando, é o que tenho pra hoje….

  • Felipe

    Quanto ao fato dos motoristas não verem a Lead não é porque a moto é pequena, mas porque as lanternas são muito baixas ficando fora do alcance da visão dos motoristas. Suspensões macias não combinam com Bomba!

    No mais, isso é o que dá comprar Bomba só porque Bomba é Bomba. É uma marca que só vende imagem e não soluções técnicas. Há quase 10 anos gastei meu dinheiro com duas Bombas, não me incomodaram, mas confesso que foram minhas últimas Bomba. Aliás, desde(existe uma ou duas excessões) a década de 90 que a Bomba não faz nada que preste!

  • Marcos

    Luana,

    como o pessoal citou o Citycom 300 é uma opção legal. Tenho um colega que está muito satisfeito. Comprou 0 Km a 2 anos, depois que roubaram sua bomba REX 299, é confortável, potente, roda grande, tem muito espaço sob o banco (parece uma poltrona) e nem precisa de seguro, rssrsrs.

    t+

  • Ygor Pessoa

    Bom vamos lá, sou um motociclista novo decidi comprar uma moto pois não aguentava mais andar de carro, isso foi em novembro de 2012 em dezembro depois de ler muito inclusive este blog optei por comprar a lead, me pareceu e me parece ainda ser uma boa opção no meu trajeto de 32km ida e 32 volta enfrento a 23 de maio de ponta a ponta + teotonio vilela, é um trajeto tranquilo a pista é bem pavimentada só o trânsito que é caótico.
    Com apenas 400km o retentor estourou por mais que parece coicidência, não é, qualquer canto da internet você vê relatos disso até já estava meio preparado, em janeiro deste ano sofri um acidente em uma curva da 23 o trânsito parou fiquei com receio de entrar no corredor e não deu outra freiei demais e chão, não posso afirmar se foi o freio combinado pois acabei acionando os dois a experiência faz falta nestes momentos.
    Fato que depois da revisão dos 4000 mandei ajustar os freios pois o manete esquerdo estava com folga, quando voltou estava mais duro e travava menos, acho que esta moto os freios tem que estar sempre bem ajustados.
    Bom teria tudo para ter raiva da moto mas ela ta com 5500 faz andando forte a 80km por hora 40km/litro na maciota a 65km chega a fazer 44km/litro. Quando comprei a moto sabia da probabilidade de defeitos como o do retentor, sabia dos freios e tambem quanto a limitação de velocidade pega 90km no ponteiro deve dar 84 km reais modelo 2013.
    Como mencionado consumo depende do uso que se faz e segurança tambem, no meu trajeto a moto é perfeita sinto dores nas costas pelo menos 2 vezes na semana talvez a suspensão seje curta mesmo, mas nunca andei em outra moto e não posso afirmar, como vocês podem ver o uso é intenso já comprei a moto sabendo que depois de 3 anos teria seus quase 100000 como fiz com meu carro então já a comprei sabendo que não teria valor residual, resta saber se durará tanto assim.
    Luana gostei principalmente do seu ultimo post tava mais calma as vezes temos que respirar antes de desabafar fiquei puto com meu acidente tambem afinal cai sozinho kkkk, vou continuar acompanhado o blog idependente da moto a ser comentada.

  • Marcel

    Tenho a minha Lead desde 2010, e vim na época de uma Intruder 125, já tive Bomba CEBÊ 450 tb. Piloto motos desde 2002 mas nunca tinha andado de scooter, comprei pq precisava de uma moto com ampla capacidade de carga. Já sabia do “problema” de não passar de 85 km/h, mas comprei pra andar em vias de até 70 km/h então tudo bem. Hoje a Lead está com 13400 km, não deu nenhum defeito grave, só manutenção normal e pequenas outras “coisas”. Estou muito satisfeito com a moto, mas às vezes sinto essa dor na costas, procuro mudar a posição um pouco e aí dá uma melhorada, não uso ela em estrada.

    Segue algumas ideias q tenho a respeito da Lead e opiniões:

    – Não acho q é moto pra iniciante, por incrivel q pareça, pois ela é bem mais instável do q uma Cg, Intruder ou Bros, por exemplo, devido as suas pequenas rodas. Ela muda muito rápido de trajetória e é mais sensível do que essas outras motos quando passa em buracos.

    – Quando for comprar uma moto pesquise bem em sites sobre motocicletas os testes e opinioes destas pra não comprar algo que não vai lhe agradar.

    – Quando possivel faça um test drive ou pegue uma emprestada de um amigo…

  • celio

    Já pensei em comprar uma LEAD mas devido ao problema que tenho na coluna (é idade mesmo) eu desinteressei e estou namorando uma custon, xtz, Factor,Gsr 150. A FAZER é excelente, já tive uma e… saudades. De fato a Yamaha é quase perfeita, as motos que tive da marca só me deram alegrias. A LEAD aqui citada nunca andei e não tenho muito o que falar mas…toda moto tem seu lado bom e ruim. Um dia elas são um tanque de guerra e no outro uma lata furada. Já ouvi alguem dizer isso. Bom, no relato vc não falou da saúde de sua irmã,(carona) mas espero que com ela tb esteja tudo bem. Saúde e tenha uma escolha feliz e bons ventos.

  • Marcio

    Não se trata de uma moto, é um scooter. Veículo destinado a diversão, só pode pegar vias rápidas se for na caçamba de uma pickup ou algo semelhante, nunca com suas próprias rodas…

  • João R

    Ola Luana,
    Grato pela materia :-))
    Bom, estou ciente que essas “iniciativas” da Bomba com seu blog nesse ano passado não ajudaram vocês nem aos usuarios/leitores que sempre gostam de compartilhar opiniões/sugestões sobre os diferentes modelos concorrentes em nosso mercado.

    Eu acredito que em 2013 tá faltando melhorar MUITO a categoria de Scooters em nosso pais. Sendo que a grande maioria dos usuarios acavam puxando de CG e BIZ para todo quanto vira e mexe, triste reconhecer que a falta de divulgação de conteúdos, o descaso e alienação da maioria dos consumidores faz de uma marca possuir 80% de share, deixando finalmente outras continuarem caladinhas comendo pelas beiras com produtos de similar “qualidade”, afinal forçando ao mercado a nivelar por baixo e cobrar preços abusivos.

    A “LEAD” ao meu ver, resulta uma scooter de entrada, politicamente correta, que nem quase tudo o que esse fabricante desenvolve (globalmente), mas que não é suficientes para quem procura dentro da categoria alguma coisa mais encorpada e potente. Resumindo: a solução não é oferecer 8 e 80, por um lado com scooters inflacionadas na faxa dos 6-7,5mil e muito diferente disso, modelos para uma MINORIA na faxa de 25-35mil…. Absurdo isso.
    Tem quem diria que a solução é a Citycom da Dafra (300cc, refr liquida, freio D/T disco, prot aerodinámica, mais encorpada, mais potência, etc…), moto que na verdade não coloco problema nenhum nela, salvo que acaba virando “única” nesse mercado, quer dizer, sem concorrentes e consequentemente com um preço que acho caro tambem (uma moto dessas custa lá fora uns 10mil).

    Resumindo… tá faltando concorrência na faxa dos 6-9mil reais numa categoria (scooter) que acho bem mais interessante que essas “street CG e concorrentes”, justamente por elas oferecer os mesmos níveis de potência/arrancada, maior proteção aerodinámica (especialmente nas pernas), maior conforto (banco) e sistema de cambio “automático”. levando em consideração que nenhum desses modelos é um produto esportivo, acho que favorece o conforto e consumo.

    A Bomba Lead, tem como concorrentes claras a Burgman da Suzuki e Smart da Dafra (na verdade essas 2 motos com a mesma “alma”: motos do fabricante chinés HAOJUE e pelo preço, as claras que fico com a versão da DAFRA). Todas as 3 possuem diferenças leves na estética, consumo, valor das peças e potência sendo que um valor inicial na prevenda mais em conta pode com certeza compensar muito na posvenda (revenda, peças, manutenção, etc…). Nenhuma delas é uma encrenca nem irá lhe deixar jogado acima dos 10-20-30mil kms realizdos conforme programação das manutenções.

    Referente a outros modelos… Eu pessoalmente acho a Biz um “hibrido”, feio e pouco prático (banco de meia boca, pouco espaço pra colocar as pernas, tem alavanca para troca de marchas no lugar do conforto que envolve um scooter automático, etc… e da Yamaha… faz tempo que não é meu interesse comprar nada deles (a Neo para mim é um descaso ao consumidor as claras focada na venda de um logo em troca de uma parcelinha acessível. Em categorias superiores do tipo Naked ou supersport acima de 600cc melhor nem falar). Acredito que qualquer desses 2 modelos (Biz e Neo) “só vendem” porque possuem um logo confiável por trás, pois no quesito qualidade nada tem a destacar na frente das chinesas acima citadas, mas claro, o mercado que compra isso, tá nem aí para analise e comparativos visando sómente o valor da parcela e a revenda, MAIS NADA e justamente isso que os fabricantes aproveitam tabelando esses produtinhos por cima com uma boa financeira do lado.

    Triste reconhecer que NENHUM fabricante tá com vontade de fazer a coisa certa em nosso pais. a Dafra mesmo em parceria com a SYM tem um monte de modelos bem interessantes para oferecer (é só pesquisar o site global da SYM). Yamaha possue a familia X-MaX que nem tem interesse em oferecer até que a Bomba não facilite com modelos superiores (“detalhe” que jamais irá acontecer enquanto o mercado continue alavancando essa lataria do tipo BIZ, CG e similares). O caso da Suzuki é pior ainda: Possui lá fora a familia Burgman de verdade (incluindo modelos de 125 e 200cc com um nivel de qualidade e desempenho invejável, mas será que a JToledo tem interesse em sair de sua area de conforto colocando produtos diferentes de tudo aquilo que tem em parceria com a chinesa HAOJUE??? quer dize, não é ruim e sim claramente LUCRATIVO para eles e tecnologicamente SIMPLES para o consumidor)

    Se tivesse que pegar alguma coisinha até 125-150cc as claras pegaria uma scooter no lugar de uma Street-naked (com padrão brasileiro) e entre elas, as opções seriam Smart, Burgman-brasileira ou Lead. Sendo que e quase todo farinha do mesmo saco, pegaria a mais em conta na prevenda (afinal 1000-2500 reais de diferença podem ser tudo na manutenção e posvenda). Quem estiver pensando no quesito esportividade ou confiabilidade de uma frente a outra, melhor esqueçer: qualquer desses modelos referem-se a tecnologia que faz ANOS já que tá inventada, clonada, revendida e repassada entre fabricantes, quer dizer, não tem misterio nessa categoria (scooter de entrada até 125-150cc com apelo “minimalista”). Uma outra coisa bem diferente seria se a gente estivesse falando de maxi scooters com motor acima de 400cc ou os últimos modelos recentemente lançados mundialmente, mas isso gente… não é para acontecer na terra da Kombi, Golzinho, mille, CG, Biz e todas essa “””belezuras”””” de museo retro.

    Abçs e juizo na estrada…

  • Luciano Paixão

    Bem de uma coisa tenho certeza, moto da “Asa de Frango” nunca mais, nem a “Cornado” que ja saiu de linha ha algum tempo os caras tão perdoando….
    Meu irmao comprou uma 2005 tava detonada de carenagem, ele ainda depenou a moto e mesmo assim a moto só “durou” 4 dias com ele, nem chegou a transferir os docs, Apareceu só o chassi todo cortado da moto dentro de uma caixa de papelão. A minha “caguei” (me processa asa de frango) 1986 (isso mesmo que vc leu 1986) foi me roubada ha mão armada um tempo atras, mas achei a mesma. Botei a bosta da “Caguei” pra venda e vou é comprar uma XTZ 250X por enquanto, Agora a “asa de Frango” só o carro da minha esposa, que ao contrario das motos, nao é visado, mas as peças originais segue o mesmo padrao das motos: caras a beça…..

  • Soueu

    Scooter-Fato: Os impactos nos buracos e ondulações terminam nos discos vertebrais. Daí …protusões e dores. Os pés posicionados no lugar destinado aos pés do garupa permitem a flexibilidade das pernas e levantar(descolando o bumbum do banco) antes do impacto da(s) roda(s).
    Essa de ser H0nd@ não diz nada. Tenho uma ching ling mau vista e sem crédito(sundow future) ano 2005, por aqui desde nova e não dá trabalho,aliás, ela é quem trabalha, pois no uso urbano é imbatível por suas facilidades: assoalho plano que permite transportar volumes, facilidade de estacionamento, versatilidade …não é “observada”, manutenção absolutamente simples, peças com muitas compatibilidades, além de muita disponibilidade no Ebay (busque por “GY6”)…Enfim, não é h0nd@, é desprezada, mas corresponde ao que propõe; e é isso o que realmente me vale.

  • Mauricio C.

    Prezada Luana,
    Olha só eu li sua experiência com o fuel controller (link = http://www.motosblog.com.br/3874/resultados-do-fuel-controller-servitec-na-lead/ ), achei muito interessante e me senti tentado a instalar, por que acho que o grande problema da Lead é a velocidade final, quando se precisa. Mas, agora ao ler essa sua experiência, dizendo que não compraria novamente, eu respeito. Surge uma dúvida, será que os problemas relacionado a mecânica, não são provenientes do FUEL CONTROLLER que você instalou??? Talvez seja por isso que a Bomba tem o limitador de velocidade.
    Como já comentei, tenho uma Lead, já tive uma Fazer 250 e uma Suzuki GS 500, vou dizer para você para onde eu uso a Lead, que é mais para andar dentro da cidade, ela é a melhor moto que já tive, e agora com esse seu relato sobre a Lead, chego a conclusão de não instalar o Fuel Controller, vou deixa-la original mesmo, caso eu precise de mais velocidade compro outra moto. Mas o melhor de tudo da Lead é sua praticidade, para mim é a melhor moto para andar em percursos curtos, onde não necessita de velocidade, é tão prática quanto uma bicicleta.
    Gostaria de agradecer seus posts foram muito esclarecedores e úteis para mim.
    Um conselho, no seu caso que usa para percursos um pouco mais longos, talvez seja melhor uma moto maior, pelo menos 250cc. Um grande abraço.

    • Daniel Ribeiro

      Cara, ela já falou tudo isso…
      1) Instalamos o Fuel Controller com 1000 km, e tiramos com 2500 km… A moto está com 25 mil km hoje. Definitivamente, não foi o Fuel Controller.
      2) Sim, ela vai comprar uma 250.
      3) Sim, a moto é boa para percursos curtos… Padaria, mercadinho, portaria do condomínio…

  • Roger

    Me lembro bem quando postei uma mensagem sobre sua Lead:
    “Ela é boa pra ir na padaria,sacolão,mercado e dar uma volta no quarteirão,e só.”
    A Lead é made in China,pensada para pequenos trajetos,mas definitivamente não serve para o mercado brasileiro.

  • eltonsp2

    A MOTO ñ foi feita pra esse tipo de uso, 20km de distancia da casa para o trabalho, mais 20km de retorno, total de 40km numa Lead “scooter” é demais, deve quebrar todo o condutor, o ideal é trocar por uma moto de categoria maior !!!

  • edu

    Luana e Daniel:
    Respeito a escolha de vocês,mas entre esses scooters eu escolheria o Burgman da Suzuki,além de também pertencer a uma grande marca,tem mais tempo de estrada e é mais potente.
    Abraços!

  • Andre

    luana, boa noite. o seu erro foi esperar um milagre muito grande de um santo muito pequeno.na proxima escolha nao compre uma custon pq as dores vao recomeçar. se fosse vc ia de tenerezinha 250, abaixava ela com kits que existem a venda e aproveitava o curso grande de suspensao mais os aros grandes que passam por qualquer buraco, lombada e todo asfalto ruim desse nosso pais. meu irmao ja teve uma e gostava muito.trocou por uma transalp que esquenta a perna ate com o motor desligado.boa sorte na escolha e caia fora de scooter, sao todos inseguros pro seu objetivo atual.

  • chang74

    Entendo a sua frustração. Também tenho uma e a Lead tem as suas limitações, isso é fato, não dá pra exigir para no que ela foi feita. Para mim é uma escolha perfeita, já que moro numa cidade com 400 mil habitantes e o meu trajeto casa-trabalho-casa e algumas correrias no centro da cidade corresponde a uma média total de 20-25km diários percorridos. Para uma cidade de 11 milhões de habitantes como São Paulo com um trânsito infernal (sei porque morei por 10 anos em Sampa), teríamos que repensar os percursos. Eu não teria coragem de andar com a Lead na Marginal. Sobre o freio combinado, nunca soube como funcionava até você descrevê-lo rsrs… Na verdade, eu uso o meu “combinado” que é apertar os dois manetes ao mesmo tempo e tem dado certo tanto nas bruscas como nas leves. Fora isso, o melhor combinado só mesmo arroz, feijão e ovo. Também não confio muito nesse freio combinado da Bomba e já ouvi relatos de quedas por causa dele. Meu modo de frear funciona pra MIM, já que 90% das vezes sou um cara de direção defensiva. Estilo de pilotagem importa muito em algumas situações. No asfalto ondulado das ruas brasileiras, ela vira uma verdadeira britadeira infelizmente mas é o que tenho para hoje, por isso levo numa boa e até decorei as partes do trajeto diário onde tenho que fazer o zigue-zague dos desvios rsrs e ainda por cima maneirar na velocidade para compensar a chacoalhada nas ruas de paralelepípedo (sim, na cidade onde moro ainda existe isso). Penso um dia em ter uma moto potente, mas só quando estiver disposto a despejar rios de dinheiro para pagar o seguro.

  • Joice Cardoso

    Eu tenho uma Lead,sou muito satisfeita com ela. Moro a 25km de distância do meu trabalho. Então são 50km diários. Tomo cuidado redobrado para não pegar buracos e com dias de chuva. Para mim ela é excelente!

  • Alex J

    Luana, muito obrigado pelo alerta. Comprei uma moto (comet 250) e, pela dificuldade em aprender a pilotar com ela, achei que o correto seria vende-la e comprar um scooter. E um scooter Bomba afinal o lead é o queridinho dos sites e revistas de moto, todo mundo diz que é uma maravilha, a manutenção é barata e blá-blá-blá. Ainda bem que li seu texto…Nem scooter nem Bomba! Vou ficar com minha comet mesmo.

  • Anderson Mandrak SP

    olá, acho que vc deu azar na sua Lead, pois tenho um amigo que não troca a Lead dourada dele por moto nehuma, e ele roda bastante com ele!!

  • Maira

    Oi pessoal, e a Crypton Penélope, vi e me apaixonei por ela, sera que vale a pena por se tratar de uma CUB e não de uma scooter especificamente, para quem vai rodar no maximo uns 10Km por dia com alguns buracos apenas,compensa?

  • Maira

    Oi pessoal, gostaria que me indicassem uma moto boa até 5mil, estou entre a crypton e a dafra speed, alguém pode me dar alguma dica ou conselho? Obrigada, muito bom o blog.

  • Guilherfme

    Bom dia

    Gostei do que escreveu .
    Estou comprando uma Citycom , gostaria de saber sua opiniao .
    Estou comprando por opçao pois ja tive Burgmam 125 e a Bros 150 .
    Mas prezo demais o conforto e prefiro nao trocar de marchas .

    Sei que o nome DAFRA causa arrepios em muita gente , mas percebi tambem que a concessionaria acaba sendo 95% dos problemas .

    Desde ja agradeço
    Mamao (Guilherme)

  • ERIC

    Que curioso, minha noiva teve uma LED por 2 anos, nunca teve nenhum problema, mas acredito que seja pelo pouco uso e a boa condição das ruas da minha cidade.

    Eu tenho uma Ténéré 250 sou apaixonado por ela.

  • Francisco

    Eu comprei uma e era uma maravilha, usei ela pouco tempo, mais ou menos 8 meses, pra caminhos próximos de sua casa como o supermercado é bastante útil, por seu amplo bagageiro e seu sistema automático de marchas, fora que rodava entre 37 a 40 km com o tanque de
    6,8 litros cheio.
    Fazia compras da semana e cabia muita coisa no bagageiro debaixo do assento e outras no bauleto extra que coloquei nela.
    O problema fica em caminhos mais longos, rodovia nem pensar, por ser apenas 110cc não atende o fluxo do transito, fora o desconforto que aparece por causa da posição.
    Fiquei triste de vender a minha, mas o trabalho mais longe de casa me fez desistir de andar nela.
    Nos oito meses, tive problema com a bomba do arrefecimento a liquido do motor começou a vazar do nada, mas foi trocado pela garantia.

  • EDSON

    Tenho uma bros 2013 e ñ achei ela tão confortável assim e gostaria de saber se tem como deixa-la mais confortável?
    O Amortecedor traseiro dela tem regulagem?
    Sera que coloco um guidão maior,troco o a espuma do banco ou aumento a calibragem do banco?
    Pesso a ajuda da galera ae
    Valew

  • Maciel

    Yamaha Tmax530,Dafra Cityclass 200i e MaxSym 400i. Lançamentos de scooters para 2014 apresentados no Salão Duas Rodas em SP.
    Pra quem gosta desse tipo moto, como eu, as opções começaram a melhorar.

  • Rodrigo da rocha

    Se uma Lead que tem um banco que é um sofá incomoda as costas, experimente passar uma semana com qualquer custom heheheh.

    Trail sempre!!!

  • ricardo casado

    comprei uma lead, esta com 2300km e apareceu uma vazamento próximo ao cavalete, fiquei assustado e encostei até poder levar na garantia. No mais, acabei comprando uma CG TITAM 150, que parece mais um landau, perto da laed. abçs

  • Guilherme

    Sobre as impressões da autora, só compartilho sobre o limitador de velocidade que é realmente perigoso para pegar rodovias.

    Sobre dores nas costas não sinto nada (mantenho o corpo flexível) quando passo em irregularidades da pista. (O asfalto da minha cidade é melhor conservado que o da cidade de São Paulo)

    Sobre o motor, o meu não queima uma gota de óleo, não pinga uma gota de óleo e nem água do radiador não se mexe 1mm (modelo 2010, 33 mil km)

    Sobre o freio: Pastilhas importadas da Itália, pagam imposto de importação e vem em Euro. É caro, mas dá pra recorrer às paralelas que custam R$15,00. Até hoje não caí por causa do freio combinado, ao menor sinal de travamento eu solto os manetes.

    Ainda que a Lead tenha seus defeitos, o mercado não oferecer nenhuma opção de 200cc ou 300cc confiável ou com preço condizente. Hoje ou é PCX ou Burgman 400, temos um buraco enorme entre os dois modelos.

    • Rodrigo da Rcha

      No meu trabalho tem 3 pessoas que tem Lead, todos são motociclistas experientes e todos reclamaram e dois já caíram por causa do freio combinado, é muita potência pra pouca roda.

      Claro, nada que desativar um cabo não resolva.

      No mais, não tem outro tipo de problema. Não é moto para meu uso e para o de muitos também, mas certamente tem seu público, até aquela coisa medonha da Pop tem heheheh.

  • Felipe

    Prezados,

    Eu comprei minha lead 2012 em um dia daqueles que o transporte publico te deixou p da vida.

    Confesso que não é a melhor moto para transporte, principalmente para uma pessoa como eu que possuo 1,84m. Toda via, se tratando de um meio de locomoção para transporte urbano, não tenho nada a reclamar, nos corredores vai muito melhor que motos do dia a dia com CG. Confesso que a suspensão realmente é um problema, velocidade maxima de 80km é por que a moto possui limitador e devido sua forma, vamos combinar que 80 ta bom de mais. Quanto aos freios combinados, acho uma excelente opção, principalmente para amadores como é o caso da maioria das pessoas que compram scooter em geral.

    Ressalto ainda que a moto esta com 9000km nunca tive qualquer tipo de problema.

    Sou possuidor de uma Suzuki GSX 1000, entendo um pouquinho só de moto. acho que sua experiencia não generaliza e faltou um pouco de pesquisa na aquisição do seu veiculo. Toda via, seu comentário é valido para quem quer comprar.

  • acastro

    Pessoal, e a Burgman ? É a mesma merd… ou é melhor ?

  • Cesar

    Já andou em uma Intruder 125 das novas? É uma excelente moto e uma delícia de se pilotar. E ainda vem com duas vantagens: é personalizável e ninguém quer! Abs.

  • Renato

    Tenho uma Bomba Lead 110c esta semana me deu um defeito na central de injeção eletrônica (ECM) ela e 2009/2010 valor de mercado R$ 4.325.00 infelizmente esta peça só na própria Bomba onde custa R$ 549,00 e tenho que esperar no mínimo 10 dias o custo de manutenção e muito alto desta moto sempre tive Bomba mais vou mudar de marca vou ter que vender esta a preço de banana mesmo assim vai ser difícil vender
    Analise bem antes de comprar
    Depois pode ser tarde